Categorias
Memória

Reitor conclama a sociedade civil

Aloisio Teixeira espera contar com o apoio do Governo Federal, através dos ministérios da Educação (MEC) e da Ciência e Tecnologia (MCT), além de entidades da sociedade civil, para a reconstrução do Palácio Universitário, onde se encontra, entre outros espaços, a Capela São Pedro de Alcântara (foto).

O reitor Aloisio Teixeira conclama a sociedade para ajudar na reconstrução do Palácio Universitário da Praia Vermelha. O prédio, de estilo neoclássico, foi parcialmente consumido pelo fogo após incêndio na última segunda-feira (28/03). A Capela São Pedro de Alcântara e o Auditório Anísio Teixeira foram os locais mais afetados.

Peritos da Polícia Federal avaliarão os danos ao patrimônio do Estado sob responsabilidade da UFRJ, enquanto profissionais da Polícia Civil apurarão as causas do sinistro. Teixeira espera contar com o apoio do Governo Federal, através dos ministérios da Educação (MEC) e da Ciência e Tecnologia (MCT), além de entidades da sociedade civil, para a reconstrução do Palácio.

Nesta terça (29/03), o prédio permanece fechado, pois ainda há risco de incêndio e desabamento. Na quarta (30/03) ou quinta (31/03), serão realizados testes no sistema elétrico. As atividades só devem voltar ao normal na próxima segunda (04/04). O acervo do Programa de Estudos e Documentação Educação e Sociedade (Proedes) da UFRJ, que conta com documentos mantidos durante os 90 anos da instituição, não foi queimado, mas passará por verificação de eventuais danos e conservação necessária.

Mutirão

Também nesta terça, funcionários do Fórum de Ciência e Cultura (FCC) da UFRJ realizaram mutirão para salvar materiais do almoxarifado e do arquivo. São ofícios, documentos contábeis e administrativos, memorandos, pastas, livros, cartuchos de tinta e até mesmo cadeiras.

De acordo com Eliane Rocha do FCC-UFRJ, foram compradas 212 cadeiras para o Auditório Pedro Calmon, localizado no Palácio Universitário, que nem sequer foram utilizadas. “Tudo o que não pegou fogo, ficou molhado. As cadeiras ainda nem haviam sido montadas.”, lamenta a funcionária.

Os papéis recuperados datam de 2009 para trás e estão sendo armazenados em local seguro, no próprio Fórum. Junto a materiais de cenografia costumeiramente empregados em atividades realizadas pelo FCC-UFRJ, estão sendo alocados verdadeiros tesouros institucionais retirados de áreas consumidas pelo incêndio.