Categorias
Memória

IMA comemora 38 anos

Pesquisadores, estudantes e profissionais da área de Ciência e Tecnologia de Polímeros celebram o aniversário do Instituto de Macromoléculas Professora Eloisa Mano (IMA)- UFRJ


No último dia 28, o Instituto de Macromoléculas Professora Eloísa Mano (IMA) da UFRJ completou 38 anos de atividades de ensino e pesquisa com polímeros no Brasil. A data foi comemorada dia 30, com evento que contou com palestra, homenagens e exposições. A atmosfera de confraternização contagiou a todos os presentes.

A palestra de abertura do encontro apresentou como tema A era dos inovadores, e discutiu assuntos como a importância da inovação, as forças que a impulsionam, os cenários e as implicações. “Processos é a palavra chave”, afirmou o palestrante Luiz Fernando Bergamini de Sá, Coordenador Geral do Programa Qualidade Rio/Seinpe, do governo do estado do Rio, para quem, em qualquer organização, deve-se atentar para as práticas que visam ao aperfeiçoamento de seus processos, os quais correspondem às formas como são desenvolvidas as atividades.

Para Bergamini de Sá, é preciso incentivar sempre as melhorias que acelerem tais processos, distribuindo e administrando bem o tempo, de modo que uma parcela restante desse se destine a mais pesquisas, que irão, assim, direcionar-se para novas melhorias. A opinião de pessoas participantes dos processos, levantando propostas de aperfeiçoamento, também é essencial.

Homenagens e exposições
Após a palestra, houve o descerramento dde duas placas de bronze em homenagem ao professor Carlos Alberto Pires Galvão Hemais, (in memoriun), e à professora Elisabeth Ermel da Costa Monteiro, na Biblioteca e no Laboratório de Apoio Instrumental (LAPIN), respectivamente.

Hemais lecionou na disciplina “Economia de Polímeros”, foi orientador de teses e dissertações de pós-graduaçao e autor de diversos artigos, inclusive na revista Polímeros: Ciência e Tecnologia, vindo a falecer em 2005. Elisabeth, por sua vez, é  responsável pela disciplina “Espectrometria Aplicada a Polímeros” desde 1982 e ministrou diversos outros cursos na área de polímeros. Além disso, orienta teses do curso de pós-graduação e trabalhos de Iniciação Científica.

Além de prestigiar as homenagens, quem percorreu os corredores do IMA teve a oportunidade de observar os painéis apresentados no Congresso Internacional IUPAC/Macro 2006 pelos mestrandos e doutorandos do Instituto. Na Biblioteca, foram expostos livros doados pela família do professor Hemais, que passam a integrar o acervo do IMA.

A 1ª Mostra de Trabalhos também foi destaque no evento, com o tema “Plásticos: percepções transcendentes à química”. A exposição mostrou como os polímeros (plásticos, resinas, tintas, etc.), que são objetos de estudo do IMA, podem ser utilizados no dia-a-dia por profissionais de diversas áreas, tais como Artes Plásticas, Reciclagem e Odontologia.

A artesã Cristina Mendes de Medeiro da Silva, por exemplo, expôs suas peças – arranjos de flores, porta-lápis, estojos, etc. – desenvolvidas com plásticos de garrafas PET e outros materiais reutilizáveis.

História
A professora Eloisa Mano é a responsável pela implementação do primeiro grupo de pesquisa em polímeros do Brasil, parte integrante, na época, do Instituto de Química (IQ/UFRJ).

Inicialmente com poucos recursos, ela desenvolveu o que hoje são os cursos de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Polímeros, pioneiros no Brasil.

Eloisa permanece, atualmente, como professora emérita no IMA, lecionando na disciplina “Polímeros Naturais”. Ela participa de pesquisas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), além de escrever livros relacionados aos polímeros.