Categorias
Institucional Memória

UFRJ decreta luto oficial por três dias pela perda de Carlos Lessa

Reitoria da UFRJ lamenta falecimento do ex-reitor da UFRJ

Atualizado às 18h59 de 5/6/2020

Foi com pesar que a Reitoria da UFRJ recebeu a notícia do falecimento de Carlos Francisco Theodoro Machado Ribeiro de Lessa, nesta sexta-feira, 5/6.

A Reitoria decretou luto oficial de três dias, dado o reconhecimento às suas contribuições para a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a sociedade brasileira.

Lessa foi reitor da UFRJ entre julho de 2002 e março de 2003. Indicado por 85% da comunidade acadêmica, durante sua posse Lessa entregou ao então ministro da Educação Paulo Renato de Souza o que denominou “Plano Emergencial para a UFRJ”, propondo ações imediatas para eliminar riscos diretos à integridade física da comunidade universitária — como incêndios, doenças etc. — e recuperar instalações elétricas, sanitárias, telefônicas, entre outras.

Ex-decano do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE) e ex-diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Lessa é autor de diversos livros e artigos sobre economia, cultura e história.

Na UFRJ como reitor, Lessa defendeu a necessidade do retorno à normalidade institucional, sobretudo pelo respeito às decisões dos colegiados e às instâncias administrativas. Ainda que tenha ficado no posto por seis meses — para assumir a presidência do BNDES —, deixou uma lembrança cultural incomensurável à Universidade do Brasil, a quem tanto amou: criou o bloco Minerva Assanhada, nome escolhido pelo economista, fazendo alusão ao símbolo da Universidade.

O professor titular da UFRJ concluiu a graduação em Ciências Econômicas na UFRJ em 1959. Mestre em Análise Econômica pelo Conselho Nacional de Economia, doutorou-se em Ciências Humanas, em 1980, pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Lessa acumula, ainda, passagens por diversas instituições, como: Ministério das Relações Exteriores, Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal/ONU), Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), Instituto Latino-americano e do Caribe de Planificação Econômica e Social (Ilpes/ONU), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID-Intal/Argentina), Centro Interamericano de Capacitação em Administração Pública (Cicap/Venezuela), Universidade do Chile, Fundação Getulio Vargas (FGV), BNDES, Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap), Unicamp, Conselho Superior de Previdência Social (CSPS), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Detergentes do Nordeste e Instituto Virtual de Economia e Logística do Rio de Janeiro.

Seu filho, Rodrigo Ribeiro Lessa — a quem prestamos publicamente toda a solidariedade desta casa, assim como a toda a família e amigos — postou uma mensagem nas redes sociais. “Meu amado pai foi hoje às 5 horas da manhã descansar. A tristeza é enorme. Seu último ano de vida foi de muito sofrimento e provação. O legado que ele deixou não foi pequeno. Foi um exemplo de amor incondicional pelo Brasil, coerência e honestidade intelectual, espírito público, um professor como poucos e uma alma generosa que sempre ajudou a todos que podia quando estava a seu alcance, um grande amigo. Que descanse em paz. Aos que têm afeição por ele comunicaremos uma cerimônia virtual em função da pandemia”.

A Reitoria da UFRJ lamenta profundamente a perda de Lessa e presta condolências à família e aos amigos. O Brasil perde um grande Brasileiro, com B maiúsculo.

5/6/2020

Reitoria da UFRJ