Categorias
Memória

André Cardoso eleito presidente da ABM

O maestro e atual diretor da Escola de Música da UFRJ, André Cardoso, foi eleito, na última quinta-feira (5/12), presidente da Academia Brasileia de Música (ABM) para o biênio 2014-15. Sucede ao violonista Turíbio Santos, também docente da instituição.

Francisco Conte

O maestro e atual diretor da Escola de Música da UFRJ, André Cardoso, foi eleito, na última quinta-feira (5/12), presidente da Academia Brasileira de Música (ABM) para o biênio 2014-15. Sucede ao violonista Turíbio Santos, também docente da instituição.

Cardoso, que ocupa desde 2008 a cadeira número 26 da ABM, cujo patrono é o compositor pernambucano Euclides Fonseca (1854-1929), terá como vice-presidente o compositor João Guilherme Ripper.

Além de Cardoso e Ripper, fazem parte da nova diretoria Ernani Aguiar (1o Secretário), Manoel Aranha Corrêa do Lago (2o Secretário), Turíbio Santos (1o Tesoureiro) e Ricardo Tacuchian (2o Tesoureiro).

A Comissão de Contas terá como membros titulares Manuel Veiga, Raul do Valle e Ronaldo Miranda e como suplentes Ilza Nogueira, Maria Alice Volpe e Lutero Rodrigues.

Fundada em 14 de julho de 1945, por Heitor Villa-Lobos, nos moldes da Academia Francesa, a ABM é uma instituição cultural sem fins lucrativos composta de quarenta acadêmicos – personalidades de destaque no meio musical brasileiro nas áreas da composição musical, da interpretação, da musicologia e da educação musical.

Dois anos depois da fundação, o Decreto Federal 23.160, de 6 de junho de 1947, considerou a Academia um órgão técnico-consultivo do governo federal.