Categorias
Memória

UFRJ cria primeira graduação presencial em Libras do Rio de Janeiro

A partir do próximo ano, a UFRJ terá três cursos de graduação voltados para a formação em Língua Brasileira de Sinais (Libras). Estas serão as primeiras graduações presenciais em Libras, no estado do Rio de Janeiro, já que os únicos cursos de ensino superior disponíveis, até então, eram na modalidade à distância.

Por Jean Souza e Nathalia Tourinho

 
Trabalhos de Conclusão do curso lato sensu, Especialização em Libras: ensino, tradução e interpretação, da Faculdade de Letras

Atualizado no dia 12/11 às 15:25 

A partir do próximo ano, a UFRJ terá três cursos de graduação voltados para a formação em Língua Brasileira de Sinais (Libras). Estas serão as primeiras graduações presenciais em Libras, no estado do Rio de Janeiro, já que os únicos cursos de ensino superior disponíveis, até então, eram na modalidade à distância. Os cursos contarão com uma equipe de 16 professores, que serão selecionados através de concurso público.
 
No dia 24/10, o Conselho Universitário (Consuni) da UFRJ aprovou a criação do Bacharelado em Letras – Libras: Tradução e Interpretação e da Licenciatura em Letras – Libras, cada um ofertando 20 vagas. Também foi aprovada a criação de uma turma especial de licenciatura, voltada para professores da rede pública estadual e municipal de ensino, na qual serão oferecidas mais 50 vagas.
 
Estes últimos terão ingresso diferenciado, sem necessidade de passarem pelo atual concurso de acesso da universidade, e estarão incluídos no Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor), programa em regime de colaboração entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), estados, municípios o Distrito Federal e as Instituições de Educação Superior do país.
 
Para concorrerem às vagas, os demais candidatos deverão realizar o Teste de Verificação de Habilidade Específica (THE). Aptos no teste, serão classificados pela organização do processo seletivo de acordo com a nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
 
Os cursos são vinculados à Faculdade de Letras, que ganhará um departamento específico para a nova graduação, e são voltados tanto para alunos surdos quanto para ouvintes. Os candidatos que farão o THE devem ser proficientes em Libras. No entanto, para a turma especial Parfor, não será cobrada a proficiência, pois o projeto pedagógico vai contemplar mesmo os que não têm conhecimento algum em Libras.
 
Os cursos têm duração de quatro anos e serão lecionados no período noturno. A grade curricular contará com disciplinas como Estudos da Libras e respectiva Literatura, Estudos da Educação (formação pedagógica), Estudos da Língua Portuguesa como Segunda Língua para Surdos, entre outras.

O edital do Teste de Verificação de Habilidade Específica Letras-Libras 2014 foi divulgado no dia 7/11 e as inscrições estarão abertas de 18/11 a 2/12. A prova será realizada na Faculdade de Letras, no dia 8/12.
 
Mercado de trabalho
 
O profissional formado em Libras pode trabalhar em diversas áreas, focadas no ensino, na tradução e na interpretação, podendo atuar não só na área de educação, mas também em ambientes que exijam a presença de um intérprete, como aeroportos, entrevistas de emprego, eventos culturais e científicos.
 
“A Lei nº 10.436 de 24 abril de 2002, oficializou a Libras como língua materna das pessoas surdas. No Decreto, ela  passa a ser disciplina curricular obrigatória para todos os cursos de licenciatura, fonoaudiologia e pedagogia e passa a ser disciplina eletiva para os demais cursos. Neste sentido, o mercado de trabalho para os graduados em Letras-Libras está em franca expansão”, diz a professora Deize Santos, coordenadora do curso.
 
“Uma das grandes contribuições no ensino de crianças surdas será a interação em Libras desde os primeiros anos de vida”, afirma a professora. Segundo ela, o ensino dessa linguagem na educação infantil e no ensino fundamental é de vital importância para o desenvolvimento cognitivo, linguístico e social dos alunos. “Este fato, sem dúvidas, favorecerá maior proficiência na Língua Portuguesa, por exemplo”, explica.