Categorias
Memória

Restrição ao estacionamento no campus Praia Vermelha

O Conselho Superior de Coordenação Executiva (CSCE) da UFRJ decidiu aumentar a restrição ao estacionamento de veículos no campus da Praia Vermelha a partir da próxima segunda-feira (5/3). A medida decorre das obras que acontecem em todo o campus, principalmente no Palácio Universitário, mas contribui também para reduzir o fluxo de veículos na cidade.

CSCE aprova restrição ao estacionamento no campus.O Conselho Superior de Coordenação Executiva (CSCE) da UFRJ decidiu aumentar a restrição ao estacionamento de veículos no campus da Praia Vermelha a partir da próxima segunda-feira (5/3). A medida decorre das obras que acontecem em todo o campus, principalmente no Palácio Universitário, mas contribui também para reduzir o fluxo de veículos na cidade.

O CSCE se baseou no levantamento realizado pela Prefeitura Universitária, que analisou a disponiblidade de vagas, a quantidade de veículos cadastrados em 2011, além de destacar a recomendação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para diminuir a área de estacionamento no campus e preservar o prédio. O início do ano letivo propiciou a data ideal para a implantação da medida, que terá apoio da CET-Rio e da Guarda Municipal. A universidade está providenciando a colocação de avisos no entorno do campus.

A decisão considerou a existência de duas unidades de saúde públicas no local, o Instituto de Neurologia Deolindo Couto (INDC) e o Instituto de Psiquiatria da Universidade do Brasil (Ipub), dando prioridade ao trânsito de ambulâncias e ao deslocamento de pacientes e familiares.

Até o ano passado, quando havia 350 vagas disponíveis no estacionamento, era possível distribuir as vagas entre funcionários, professores e estudantes. As obras na área leste do Palácio Universitário, na recuperação da Capela São Pedro de Alcântara atingida por um incêndio em março de 2011 e de melhoria e acessibilidade na Escola de Serviço Social (ESS), entre outras intervenções tomadas para cumprimento do ajuste de conduta com o Iphan, reduziram o quantitativo para 245, o que foi crucial para retirar o privilégio dos estudantes. Hoje, cerca de 11 mil alunos frequentam o campus durante os três turnos.

A Prefeitura Universitária destacou ainda que a oferta de transporte coletivo (BRS, sigla inglesa para Serviço Rápido de Ônibus) e alternativo (ciclovias) no entorno da Praia Vermelha e de transporte entre os campi da UFRJ atenuaria qualquer transtorno causado aos estudantes, que, além de permanecerem em períodos mais curtos na instituição de ensino, são em número maior em relação ao de funcionários e professores. O crescimento da oferta de vagas para graduação e pós-graduação associado ao da força de trabalho com recentes concursos também foi considerado.

O serviço de BRS implantado na Zona Sul reduz em até 40% o tempo de deslocamento com uma frota menor (menor emissão de poluentes). Preocupada com a sustentabilidade do meio ambiente, a UFRJ contribuirá para que o Rio de Janeiro, assim como outras cidades no mundo, reduza a dependência do automóvel como principal forma de deslocamento. Todavia, a Prefeitura Universitária vai avaliar casos excepcionais, como o de portadores de deficiência física, a partir de solicitações apresentadas às unidades acadêmicas.