Categorias
Memória

Mostras do Museu Nacional fazem sucesso com o público

Devido ao grande sucesso, a exposição “Fósseis do continente gelado” permanece aberta à visitação pública no Museu Nacional. Outra mostra em destaque é “Um tiranossauro no museu”.

A exposição “Fósseis do continente gelado”, inaugurada em 7 de dezembro de 2009, no Museu Nacional, ficaria em cartaz, a princípio, até abril de 2010. No entanto, devido ao grande sucesso, a mostra foi prorrogada e continua aberta à visitação pública.

No evento, a Antártica de 80 milhões de anos atrás é desvendada. No lugar de gelo, florestas. Em vez de pinguins, répteis gigantes. A exposição revela ao público o passado de uma região ainda pouco explorada, abrindo espaço para os resultados da primeira expedição realizada por pesquisadores do museu na Antártica, em 2006 e 2007, quando foram coletadas mais de duas toneladas de material para estudo.

"A exposição chama a atenção para as pesquisas que são realizadas na Antártica e para a importância de seus resultados. Esta expedição foi a primeira em que pesquisadores brasileiros coletaram fósseis de vertebrados", afirma Alexander Kellner, paleontólogo do Museu Nacional-UFRJ e curador da exposição.

Outra exposição que também está fazendo sucesso desde o dia 16 de dezembro de 2010 é “Um tiranossauro no museu”. Famoso por suas aparições em filmes de Spielberg, o temido T-Rex desembarcou na Quinta da Boa Vista.

Em exibição ainda hoje no Museu Nacional-UFRJ, o crânio de quase três metros deste carnívoro que viveu há 65 milhões de anos e que povoa a imaginação popular como o mais temido dos dinossauros é considerado o mais completo já encontrado no mundo.

A exposição ganhou como “padrinho” o ator Stenio Garcia. Isso porque o nome do exemplar adquirido pelo museu é STAN e a equipe de paleontólogos logo criou um mascote chamado Stenio. O ator topou a brincadeira e “adotou” o simpático personagem, voltado para o púbico infantil que visita o museu.

Além do crânio, são exibidos uma reconstituição em escala do T-rex em vida, ilustrações e outros animais que viveram no mesmo período.

Para desfrutar destas apresentações, é cobrada uma taxa simbólica de R$ 3,00 – grátis para crianças até cinco anos e pessoas acima de 60. Crianças entre seis e dez anos pagam um real. O horário de funcionamento vai de terça a domingo, das 10 às 16h. O Museu Nacional fica na Quinta da Boa Vista, s/nº, São Cristóvão. O telefone para agendar visitas e obter outras informações é (21) 2562-6042, ou pelo site http://www.museunacional.ufrj.br/MuseuNacional/Principal/omuseu.htm.