Categorias
Memória

Jardineiros da esperança

Mais uma edição do projeto “Jardim e Horta na Escola Tenente Antônio João”, da Prefeitura Universitária, chega ao fim com a formação de 14 estudantes da escola municipal que aprenderam técnicas profissionais e noções de cidadania ao lidarem com plantas, flores e hortaliças. Nesta quinta-feira (1/12), eles participam da recuperação dos jardins do Instituto de Estudos de Saúde Coletiva (Iesc), danificados após obras de reforma do prédio.

Mais uma edição do projeto “Jardim e Horta na Escola Tenente Antônio João”, da Prefeitura Universitária (PU) da UFRJ, chega ao fim com a formação de 14 estudantes da escola municipal que aprenderam técnicas profissionais e noções de cidadania ao lidarem com plantas, flores e hortaliças. Nesta quinta-feira (1/12), eles participam da recuperação dos jardins do Instituto de Estudos de Saúde Coletiva (Iesc), danificados após obras de reforma do prédio. Uma oportunidade de demonstrar e retribuir o conhecimento que receberam à UFRJ.  

De acordo com a engenheira agrônoma da Prefeitura Universitária (PU) da UFRJ Angela Iaffe, uma das coordenadoras do curso, a expectativa é de que todos sejam capazes de realizar a manutenção de jardins e hortas dentro do espaço escolar. “Muitos descobriram e despertaram para uma nova atividade profissional, além de mudar a história da própria vida. É esperança de uma vida melhor”, disse a agrônoma.

A história de Matheus de Paula Viana, que aprendeu as técnicas e participou como um dos coordenadores da turma, é um exemplo. Angela Iaffe conta que as notas do estudante, assim como o comportamento, melhoraram muito,  passando ele a receber elogios da direção da escola. “Hoje, ele já pensa em fazer um curso técnico agrícola para aumentar o conhecimento e até seguir pela carreira. O mercado de trabalho na área é promissor. No Rio de Janeiro, por exemplo, muitos canteiros de obras serão substituídos por jardins, sem contar que o paisagismo e a preocupação ambiental estão cada vez mais presentes no espaço urbano”, disse Angela.   

Na aula inaugural do curso, os estudantes realizaram uma visita guiada, muitos pela primeira vez, ao Jardim Botânico do Rio de Janeiro, onde tiveram oportunidade de conhecer espécies da flora brasileira. Com 30 horas de duração, o curso habilitou os alunos ao reconhecimento  dos mais frequentes vegetais utilizados em jardinagem, para diferenciar plantas arbóreas, arbustivas e herbáceas, além de desenvolver técnicas e métodos de reprodução e multiplicação das plantas.

Outra característica do curso, segundo Angela, foi dotar os estudantes de conhecimento para implantar uma horta orgânica em “vasinhos”: “Eles agora têm condições de, mesmo em pequenos espaços, plantar temperos, plantas medicinais e algumas hortaliças em casa. O que, inclusive, pode ajudar no orçamento familiar”. Uma nova edição do projeto pode acontecer em 2012, mas em breve a equipe do Horto Universitário pretende realizar cursos de jardinagem para capacitação profissional dentro da própria UFRJ. “Há uma demanda muito grande na universidade. Público não vai faltar”, concluiu a engenheira agrônoma.