Categorias
Memória

Prefeitura fechará entrada à tarde pela Linha Vermelha

A partir desta segunda-feira, 28 de novembro, o Portão 3 que permite o ingresso à Cidade Universitária por quem vem pela Linha Vermelha ficará fechado entre 16 e 19 horas. A medida faz parte de um pacote de ações para a melhoria da circulação de veículos no campus da UFRJ.

Fechamento do Portão 3. Foto de Sidney Coutinho.A partir desta segunda-feira, 28 de novembro, o Portão 3 que permite o ingresso à Cidade Universitária por quem vem pela Linha Vermelha ficará fechado entre 16h e 19h. A medida faz parte de um pacote de ações para a melhoria da circulação de veículos no campus da UFRJ. Painéis luminosos já estão instalados para orientar os motoristas e, para que ninguém da comunidade acadêmica seja prejudicado, está em curso um levantamento dos usuários do acesso.

A Prefeitura Universitária (PU) adquiriu etiquetas RFID (Identificação por Radiofrequência, ou Radio-frequency Identification, em inglês) para distribuir entre os professores, servidores, moradores e frequentadores dos cursos noturnos. O sistema permite o ingresso de veículos de forma semelhante ao que acontece nos postos de pedágio das estradas brasileiras, com a liberação da cancela que será construída no local.

Segundo o chefe da Divisão de Tráfego da PU, Sidney Paiva, muitos motoristas adotam o campus como atalho para escapar do trânsito na Linha Vermelha, sem ter noção de que atrapalham a vida das pessoas que estudam e trabalham aqui. “O pior é que se trata de uma decisão equivocada, pois todos acabam presos no engarrafamento”, opina.

O Centro de Pesquisa da Petrobras, a pedido da Prefeitura Universitária, também reformula a liberação dos trabalhadores em horários diferentes. “As empresas instaladas no campus também estão preocupadas com o impacto da saída ao mesmo tempo de tantos veículos e pessoas. Por isso, ficou acertado que os ônibus sairão às 16h, 16h20 e 16h40”, informou o prefeito Ivan Carmo.

Bloqueios em outras vias
Cones bloquearão a passagem em torno da Praça Edson Abdalla Saad, em frente ao Restaurante Universitário, para estender o trajeto dos motoristas até o retorno próximo à Bio-Rio, dando tempo para acomodação do tráfego em um número menor de vias. Aqueles com destino à Ilha do Governador e Baixada Fluminense devem seguir até o retorno próximo à Rua Maria Dollores Lins de Andrade (a do Corpo de Bombeiros), uma vez que outro bloqueio interromperá o fluxo entre a Estação de Integração e a Saída Norte.

De acordo com Sidney Paiva, quem costumava pegar a Rua Professor Rodolpho Paulo Rocco (em frente ao Hospital Universitário Clementino Fraga Filho) deve mudar a prática, exceto se quiser ficar preso no trânsito da Avenida Brigadeiro Trompowski para pegar a antiga ponte do Galeão.

Casos de avanço de sinal e tráfego pela contramão das vias não serão mais tolerados. Quem insistir em desrespeitar as normas básicas do Código de Trânsito Brasileiro sofrerá com a aplicação de multas e terá o veículo rebocado por operadores da CET-Rio e da PU se estacionar irregularmente sobre canteiros, jardins, calçadas, ciclovias e faixas de travessia de pedestres. A PU colocou operadores de tráfego espalhados nos pontos mais críticos do campus para intensificar a fiscalização. “Poderemos sofrer críticas no início, mas em um ambiente de educação e cidadania não vai demorar muito para todos entenderem que o bem coletivo está acima do interesse individual”, acredita Ivan Carmo.