Categorias
Memória

Palestra com Annita Malufe desvenda Michel Foucault

A Faculdade de Letras (FL) recebeu na sexta-feira, 4 de novembro, a professora e poetisa Annita Costa Malufe, que palestrou sobre “As palavras e as coisas de Michel Foucault” para um auditório lotado. Annita decifrou, para o público, o trabalho “arqueológico” de Foucault sobre as mudanças no campo da Literatura e da Linguística no Ocidente a partir do Renascimento.

A Faculdade de Letras (FL) recebeu na sexta-feira, 4 de novembro, a professora e poetisa Annita Costa Malufe, que palestrou sobre “As palavras e as coisas de Michel Foucault” para um auditório lotado. Annita, doutora em Teoria Literária pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), decifrou para o público –  quantidade significativa de ouvintes não pertencia ao curso de Letras – o trabalho “arqueológico” de Foucault sobre as mudanças no campo da Literatura e da Linguística no Ocidente a partir do Renascimento.

Com objetividade e clareza, a poetisa contextualizou a evolução dessa área de conhecimento e aprofundou-se em conceitos relacionados, partindo do nascimento das Ciências Humanas e seguindo  com a construção da ideia de verdade e as relações de semelhança e analogia na língua. “A primeira palavra se deu por semelhança com aquilo que ela representava, isto é, nomeavam-se mais diretamente as coisas”, afirmou Annita, fazendo referência também à língua hebraica.

A palestra, que tinha cunho didático, foi planejada pela professora de Literatura Inglesa Vera Lima Ceccon, criadora do Projeto Bridges, o qual ficou a cargo da organização do evento. Segundo descrição do projeto em seu site, “o objetivo é afirmar a Literatura como arte e, por isso, vinculada à vida”. Tal afirmação foi reiterada por Annita durante a palestra. “A Literatura não é um discurso, é um contradiscurso; é como um ser errante que vaga entre nós, como um ser bruto”, disse.

Ao fim da palestra, a poetisa, que havia viajado pelos séculos XVI e XVII para ilustrar seu discurso, citando nomes de importantes pensadores e filósofos, como Friedrich Nietzsche, Ferdinand de Saussure e o próprio Foucault, iniciou um debate com o público, respondendo a perguntas e esclarecendo pontos importantes. Por fim, ela concluiu da forma como começou: “A obra As Palavras e as Coisas devia ser  de referência para os cursos, já que acompanha as mudanças do pensamento ocidental”.