Categorias
Memória

Coppe é referência em Economia Solidária

Através do programa de extensão Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares/Coppe, a UFRJ é referência no Rio de Janeiro em Economia Solidária. Com nota final 90, o projeto conquistou o 7º lugar no Edital Chamada Pública Senaes nº 004/2011. E é o único do estado na lista dos classificados que receberão financiamento do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Através do programa de extensão Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares/Coppe, a UFRJ é referência no Rio de Janeiro em Economia Solidária. Com nota final 90, o projeto desenvolvido pela Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ITCP-Coppe) conquistou o 7º lugar no Edital Chamada Pública Senaes nº 004/2011. E é o único do estado na lista dos classificados que receberão financiamento do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

O edital foi lançado pela Secretaria Nacional de Economia Solidária (Senaes), vinculada ao MTE. Tem como objetivo “fomentar empreendimentos econômicos solidários (EES) e redes de cooperação atuantes com resíduos sólidos, constituídas por catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis”, explica Paulo Victor Aniceto, técnico da ITCP-Coppe.

Neste edital foram selecionados projetos elaborados por instituições de todo o país, voltados para a incubação e assistência técnica destes EES de reciclagem e a formação de novos empreendimentos com catadores ainda não organizados. “A aprovação do projeto representa a consagração da UFRJ na participação de políticas públicas nacionais”, afirma Aniceto.

O projeto desenvolvido pela ITCP-Coppe, que é um Programa de Extensão da Coppe, teve o apoio da Fundação Coordenação de Projetos, Pesquisas e Estudos Tecnológicos–Coppetec. “A Fundação-Coppetec é a instituição proponente – que enviou a nossa proposta para o MTE – e gerenciadora administrativa do projeto, por ser uma entidade privada sem fins lucrativos, que nos representou no envio da proposta”, explicou Paulo, que também é cientista social.

A avaliação desta chamada foi realizada por meio da análise da qualificação técnica, da experiência institucional e da capacidade operacional das instituições proponentes, medida através da “experiência comprovada na área, parcerias com o poder público e com catadores”. Outro critério adotado foi a clareza da proposta metodológica para o desenvolvimento das ações de incubação junto aos catadores.

O programa da ITCP-Coppe diferencia-se das demais instituições do Rio de Janeiro por sua experiência comprovada na incubação de empreendimentos solidários formados por catadores de materiais recicláveis. “No ano passado desenvolvemos o projeto Cataforte com a parceria da Fundação Banco do Brasil (FBB) e do Senaes. Conseguimos capacitar mais de 600 catadores no estado do Rio de Janeiro em conteúdos voltados para formação e autogestão de empreendimentos, logística reversa na reciclagem, saúde e segurança no trabalho”, exemplifica Aniceto.

De acordo com o cientista social, o edital do Senaes possibilitará a ampliação das ações na área de planejamento e organização ambiental. Dessa forma, promovendo o “aumento do número de catadores qualificados, empreendimentos solidários formalizados e a proposta de um trabalho em rede com cooperativas de catadores, visando à comercialização e beneficiamento dos resíduos em uma escala maior”, conclui.