Categorias
Memória

Projeto ATIVIDA – Programa de Qualidade de Vida no Trabalho

O Projeto ATIVIDA – Programa de Qualidade de Vida no Trabalho, do Centro de Tecnologia (CT/UFRJ), tem como objetivo  proporcionar gratuitamente a todos os funcionários e alunos da Universidade condutas terapêuticas e profiláticas para melhorar sua qualidade de vida dentro e fora da UFRJ.

O Projeto ATIVIDA – Programa de Qualidade de Vida no Trabalho, do Centro de Tecnologia (CT/UFRJ), tem como objetivo  proporcionar gratuitamente a todos os funcionários e alunos da Universidade condutas terapêuticas e profiláticas para melhorar sua qualidade de vida dentro e fora da UFRJ.

Com a iniciativa da fisioterapeuta Alexandrina Queiroz há cerca de 8 anos, o projeto foi apresentado à Pró-reitoria de Pessoal e Serviços Gerais (PR-4), que designou o Laboratório de Tecnologia Submarina da Coppe para iniciar o projeto inicial. “Após algum tempo, dado o sucesso do trabalho executado, outros laboratórios e unidades se interessaram e assim o programa foi transferido para a Decania do CT, onde um grande número de parceiros vem fazendo com que ele evolua através de atendimento diário, aparelhos e profissionais especializados”, explicou a fisioterapeuta.

As patologias mais encontradas nas avaliações são aquelas ligadas aos esforços repetitivos e à má postura. São hábitos que tanto no ambiente profissional ou doméstico promovem, por exemplo, dores de coluna, artroses principalmente nos joelhos, esporão de calcâneo (osso do calcanhar) e estresse.

Segundo Alexandrina Queiroz, são identificados vários colaboradores hipertensos e com alterações clínicas durante a avaliação, que imediatamente são encaminhados com relatório para o profissional médico, “ação esta indispensável para que possamos iniciar as condutas terapêuticas específicas; muitos já veem com o diagnóstico firmado e os exames prontos”.

Atendimento

O projeto, que no primeiro semestre de 2011 ultrapassou a margem de 1.200 atendimentos, tem uma procura bem diversificada, uma vez que o programa tem como objetivo atender a funcionários, estudantes, terceirizados, aposentados, entre outros. Entretanto, funcionários da Coppe, Coppetec e Decania do CT são os que mais procuram o atendimento do ATIVIDA.

“Atendemos em média de 12 a 15 funcionários por dia, incluindo os que nos procuram com sintomas que necessitam apenas de avaliação dos sinais vitais, como pressão arterial”, enfatiza Alexandrina. A resposta dada pelos atendidos através dos questionários de satisfação e evoluções terapêuticas no programa refere melhora significativa na qualidade de vida. “Tem-se em mente que, além de cuidar do quadro patológico principal, os especialistas orientam para várias mudanças de hábito no local de trabalho, em família e na vida social”, acrescenta.

Plano de atividades do projeto

Coordenadas pela doutora Alexandrina Queiroz, as atividades oferecidas pelo programa ATIVIDA agregam todas as linhas de tratamento fisioterápico, em ortopedia, reumatologia, pneumologia, desportiva, RPG (pelo método Phelippe Souchard), em maca própria, drenagem linfática terapêutica, assistência psicomotora, o que inclui consciência corporal, relaxamento, vivências corporais, ginástica laboral e orientações ergonômicas para mobiliários/colaborador, nas atividades da vida diária e do mobiliário doméstico.

Além disso, o funcionário recebe prescrições terapêuticas para pôr em prática em outros horários fora do atendimento no consultório. Também está inclusa no programa a assistência pré e pós-operatória, que é uma especialidade pouco conhecida na área de assistência preventiva e reabilitadora a que o projeto se propõe.

O programa funciona de segunda a sexta-feira, entre  8h e 16h, na sala B, 2º andar, Bloco A, Decania do CT, Cidade Universitária.