Categorias
Memória

Unidades aguardam contêineres

Até o início da noite desta segunda, os equipamentos ainda não haviam sido instalados. De acordo com Marcelo Corrêa e Castro, decano do CFCH-UFRJ, as unidades deverão avaliar as condições para o regresso das aulas.

Representantes das unidades do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) estiveram reunidos, na tarde desta segunda-feira (04/04), para discutir as consequências do incêndio do último dia 28. As unidades sediadas no Palácio Universitário ainda aguardam a chegada dos contêineres hidráulicos, que viabilizarão a retomada das atividades acadêmicas no prédio, segundo nota oficial publicada pelo reitor Aloisio Teixeira, no último domingo (03/04). Porém, até o início da noite desta segunda, os equipamentos ainda não haviam sido instalados. De acordo com Marcelo Corrêa e Castro, decano do CFCH-UFRJ, as unidades deverão avaliar as condições para o regresso das aulas.

Mesmo com os banheiros interditados devido a rachaduras na caixa d´água do prédio – em virtude do fogo – funcionários da Escola de Comunicação (ECO), Faculdade de Educação (FE), Faculdade de Administração e Ciências Contábeis (Facc), Instituto de Economia (IE), Fórum de Ciência e Cultura (FCC) e do Sistema Integrado de Bibliotecas (SIbi) continuaram os trabalhos administrativo e de limpeza.

Contabilizando os danos

Em um balanço dos prejuízos causados pelo incidente, as principais perdas foram no Fórum de Ciência e Cultura (FCC) e na Faculdade de Educação (FE) da UFRJ, com a destruição total da Capela de São Pedro de Alcântara e do Auditório Anísio Teixeira, onde era guardado provisoriamente o almoxarifado da FE-UFRJ.

Atas de reuniões, trabalhos de pós-graduação e pesquisa, entre outros documentos da Faculdade de Educação, reunidos em 43 anos de existência da unidade, não foram completamente perdidos, segundo a diretora Ana Maria Monteiro. “Os documentos foram atingidos pela água utilizada pelos bombeiros para apagar o incêndio, mas serão recuperados”, afirmou.  Os papéis já foram retirados do arquivo e estão no antigo almoxarifado, atrás da piscina. De acordo com a professora, os documentos passarão por um processo de desumidificação.