Categorias
Memória

Centro de Referência das Mulheres inaugura em novembro

No Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, 25 de novembro, as cariocas ganharão como presente um novo espaço de referência para valorização da autoestima feminina, com a inauguração do Centro de Referência das Mulheres (CRM), na Cidade Universitária da UFRJ.

NilceaNo Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, 25 de novembro, as cariocas ganharão como presente um novo espaço de referência para valorização da autoestima feminina, com a inauguração do Centro de Referência das Mulheres (CRM), na Cidade Universitária da UFRJ. O anúncio aconteceu na manhã desta sexta-feira (1º/10), durante a visita da ministra da Secretaria Especial de Política para Mulheres (SPM), Nilcéa Freire, às obras do prédio de dois andares que fica ao lado da Prefeitura Universitária.

Para a ministra, o espaço é resultado de um investimento bem sucedido dos governos federal e estadual, para atender mulheres em situação de violência. “Aqui será um ponto de referência para capacitação, treinamento e reflexão sobre o tema de eliminação da violência contra a mulher. Além de elas contarem com toda a atenção, a universidade produzirá conhecimento que será irradiado para outros polos a serem espalhados para outros estados do país”, afirmou Nilcéa Freire.

De acordo com a Coordenadora do CRM, Eliana Moura, o prédio só estará aberto ao público a partir de janeiro do próximo ano, porque, após a inauguração, haverá um período de treinamento da equipe de estudantes e profissionais que trabalhará no local, com cursos específicos em Direitos Humanos e conhecimento da legislação de amparo às mulheres, como a Lei Maria da Penha. “O CRM será um espaço em que os alunos serão preparados para atender às mulheres após formados”, disse ela.

O reitor da UFRJ, Aloisio Teixeira, afirmou que o CRM é uma grande conquista para a universidade por dois aspectos. “O primeiro tem relação direta com a área acadêmica, porque o local será o ponto de encontro de várias escolas de pensamento, de aproximação das unidades de ensino. O outro aspecto é fazer parte de um projeto de extensão que, desde o início de nossa gestão pretendíamos ter, um espaço voltado para as mulheres e atendendo principalmente àquelas que vivem no entorno da UFRJ”.

Oportunidade de inserção no mercado de trabalho

ObrasIniciativa do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas em Direitos Humanos (Nepp-DH), o centro de referência terá caráter interdisciplinar através da atuação conjunta de diversas unidades da UFRJ: Escola de Serviço Social (ESS), Faculdade de Direito (FD), Instituto de Psicologia (IP), Escola de Comunicação (ECO), Escola de Educação Física e Desportos (EEFD), Escola de Enfermagem Anna Nery (EEAN), Instituto de Nutrição Josué de Castro (INJC), Instituto de Estudos em Saúde Coletiva (Iesc), Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira (IPPMG), Horto Universitário, Escola de Belas Artes (EBA), Faculdade de Educação (FE) e Faculdade de Letras (FL).

O CRM atuará em sintonia com o Centro de Referência de Mulheres da Maré Carminha Rosa (CRMM-CR) e contará com transporte exclusivo e gratuito, para facilitar o deslocamento entre frequentadoras dos dois polos. “O CRM vai solidificar o trabalho realizado na Maré, que é pioneiro e reconhecido dentro e fora da comunidade, onde a universidade continuará presente com apoio psicológico, jurídico e social. O CRM vai ampliar a área de atuação”, afirmou Mariléa Porfírio, diretora do Nepp-DH.

Com 2.239 m2 de área construída em conformidade com a legislação de acessibilidade, o centro estará dotado de salas de cinema/teatro, de exposições, de leitura/literatura, de oficinas de dança, cerâmica e artesanato, pátio infantil e brinquedoteca, entre outros espaços. “Até a nossa cozinha/refeitório será um local de aprendizado de vários tipos de culinárias, como, por exemplo, a vegetariana, para dar oportunidade de inserção das mulheres no mercado de trabalho e até possibilitar a adoção de hábitos saudáveis em casa”, concluiu a coordenadora do CRM, Eliana Moura.