Categorias
Memória

A química no combate ao crime

A Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro e o Instituto de Química assinam convênio para  desenvolvimento e aplicação de conhecimento científico e tecnológico forense.

 

A Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (Pcerj) formaliza, a partir da próxima terça-feira (25/5), a adesão de mais um aliado no campo da investigação criminal: o Instituto de Química (IQ) da UFRJ. Ambos assinam um convênio para o desenvolvimento e aplicação de conhecimento científico e tecnológico forense, às 14h, na sala do Conselho Universitário da universidade, no 2o andar do prédio da Reitoria (Avenida Pedro Calmon, 550, Cidade Universitária).

Entre as técnicas de investigação da cena do crime a serem desenvolvidas e que são abarcadas pelo acordo estão o aumento do tempo de reação e da intensidade do azul brilhante produzido pelo luminol — substância que detecta vestígios de sangue para produzir provas, mesmo em locais lavados com produtos de limpeza —, além de outros componentes químicos  para a detecção de sêmem humano em caso de ocorrências de estupro e violência sexual e ainda a utilização de tinta invisível para marcação de cédulas para crimes de extorsão e sequestro.