Categorias
Memória

Letras e Politécnica elegem diretores

Eleonora Ziller, com 65%, dirigirá a Faculdade de Letras nos próximos 4 anos. Na Escola Politécnica, Ericksson Almendra foi reeleito.

A Faculdade de Letras/UFRJ elegeu, nesta sexta, dia 27, sua nova direção. Com 65,51% dos votos, Eleonora Ziller foi eleita para o mandato dos próximos quatro anos. A chapa 1, encabeçada por Dau Bastos, recebeu 33,54% dos votos. Votos brancos e nulos representaram 0,94%. Ao todo, votaram 1290 alunos, 152 docentes e 79 servidores técnico-administrativos. 

A eleição ocorreu após intenso debate na comunidade acadêmica acerca do sistema eleitoral adotado. Em Assembléia Geral realizada no dia 4 de novembro, foi adotado o voto paritário em substituição ao sistema de sufrágio universal. A nova diretora pretende mudar os rumos empreendidos pela atual direção. “Buscamos construir novas práticas para a direção, que busquem a equidade e o equilíbrio entre todas as categorias e que se pautem pela gestão democrática e pelo respeito a todas as instâncias de representação da faculdade”, afirmou.

Entre suas propostas, está a construção de um orçamento participativo, em torno do qual a comunidade da Letras será mobilizada para definir os custos da unidade e a busca de parcerias dentro da universidade para a elaboração de projetos e solução de problemas.

Diretor reeleito na Escola Politécnica

Também nesta sexta, o atual diretor da Escola Politécnica/UFRJ, Ericksson Rocha Almendra, foi reeleito. Para o próximo mandato, dentre outros objetivos, Ericksson  pretende aumentar os intercâmbios, contando com maior presença de alunos estrangeiros nos cursos. Também há a pretensão de aumentar o número de vagas totais.  “O Brasil precisa de engenheiros. Só 5% da população estuda Engenharia. Se observarmos as universidades de outros países em desenvolvimento, você vê que a proporção de engenheiros é muito maior”, analisou.