Categorias
Memória

Gerenciamento de projetos inovadores em foco

I Semana de Tecnologia e Informação reuniu pesquisadores da UFRJ e especialistas em inovação.

Realizada pelos alunos do curso de Ciência da Computação da UFRJ, membros da Empresa Júnior de Consultoria em Microinformática (EjCM), nos dias 17 e 18 de novembro, a I Semana de Tecnologia e Informação (SETI) trouxe para a UFRJ o que há de mais novo em termos de tecnologia e inovação na área.

Para Iris Guardatti, da Agência de Inovação da UFRJ, o momento é muito propício para discutir a inovação em projetos. “Nós estamos em plena semana global de empreendedorismo. E um dos temas da semana é o papel da inovação para o empreendedorismo. O Brasil não tem um grande desenvolvimento  na área de inovação, e isso compromete a cultura empreendedora no país”, comentou.  

Na palestra de abertura apresentada por Izaías Círios Miguel Júnior, sócio-diretor da empresa Visagio e ex-aluno da UFRJ, discutiu-se sobre como o gerenciamento ágil pode ser uma ferramenta para aumentar as chances de sucesso de um projeto muito inovador. De acordo com o palestrante, um projeto passa por cinco processos básicos e, para que obtenha sucesso, é necessário atender a alguns requisitos, como um cronograma definido a fim de que tudo seja cumprido dentro do prazo e custo estabelecidos, em conformidade com a qualidade esperada pelo cliente.

Porém, no caso de projetos nos quais o cliente não tem muita certeza de como quer o produto final, é preciso ser flexível quanto a algumas  características. “Nas metodologias tradicionais, a qualidade do produto acaba sofrendo para que seja entregue um software no prazo determinado, com o custo determinado e com a forma inicial planejada, que talvez não seja mais o que o cliente precisa”, explicou.

Segundo Izaías, no gerenciamento ágil o projeto começa de acordo com o planejamento, mas é modificado durante a realização para atender às necessidades do cliente, e por isso é mais eficaz. “A variável da metodologia ágil é o escopo. O custo, a qualidade e o tempo são fixos desde o início, mas ao longo do projeto alguns itens e características desnecessárias do produto são substituídos  por outros essenciais que não foram observados pelo cliente no pedido original”, concluiu.

Além de Izaías Miguel, a SETI recebeu também palestrantes como Débora Theodoro, ex-aluna da UFRJ e atualmente trabalhando na  Google, para contar sobre como a inovação é estimulada na empresa, mostrando seus maiores princípios e alguns resultados dessa iniciativa.