Categorias
Memória

II Olimpíada Ibero-Americana de Biologia

A equipe brasileira conquistou uma medalha de ouro, uma de prata e duas de bronze na II Olimpíada Ibero-Americana de Biologia, realizada de 31 de agosto a 6 de setembro, com a organização da UFRJ. Com o resultado, o país repetiu a façanha da primeira edição do evento, realizada no México. Oito países participaram da competição.  

A abertura oficial, no dia 1º, ocorreu no auditório Hélio Fraga, no Centro de Ciências da Saúde (CCS), com direito a uma apresentação de capoeira, forma de expressão cultural característica do Brasil. Além disso, diversas palestras fizeram parte da programação, dentre elas a de Irene Garay, vice-diretora do Instituto de Biologia. Também se pronunciaram Claudia Russo, coordenadora do evento e professora do Departamento de Genética do Instituto de Biologia, e Rubens Oda, vice-coordenador e professor de Ensino Médio.  

Para representar o Brasil, foram escalados os campeões das Olimpíadas Nacionais de Biologia. Além da competição, os participantes puderam conhecer a cidade do Rio, conforme previa a programação. Enquanto os professores trabalhavam na organização e nas provas, os alunos visitaram pontos turísticos, como Arpoador, Floresta da Tijuca e o Museu da Quinta da Boa Vista.

– As olimpíadas visam muito mais do que a disputa. É lógico que há uma competição teórica, mas percebe-se que a relação de amizade entre os alunos e professores vai muito além – observa Rubens Oda, evidenciando que mesmo com a disputa é possível existir um clima de cumplicidade entre os participantes. A avaliação consiste em uma prova teórica e quatro provas práticas. Os professores também são responsáveis por traduzir as provas e discutir as questões com os participantes, adequando a linguagem à de seus países de origem.

A Olimpíada Ibero-Americana integra um calendário de competições envolvendo o ensino de Biologia. Segundo Claudia Russo, coordenadora das Olimpíadas Brasileiras de Biologia para o Ensino Médio desde 2007, o Brasil há três anos participa da Olimpíada Internacional da disciplina. Os quatro primeiros lugares da etapa brasileira competem na fase internacional, que conta com a participação de mais de cinqüenta países. “Os estudantes de Ensino Médio viajam sempre acompanhados de professores de Biologia para os eventos internacionais. O programa das Olimpíadas Ibero-Americana e Internacional segue o mesmo cronograma. Neste ano, a internacional foi na Índia, na cidade de Mumbai, de 13 a 20 de julho. Naquele evento, ganhamos a primeira medalha brasileira na Internacional, do aluno Pedro Bessa”, explica Claudia.

A prova teórica da etapa Ibero-Americana ocorreu no último dia 2, no Salão Azul, localizado no Bloco A do CCS. A cerimônia de encerramento foi realizada no salão do Hotel Porto Bay Rio Internacional, em Copacabana, no dia 5, quando foram divulgados os resultados finais. Os participantes ainda participaram de um churrasco de confraternização, no sábado, dia 6, no distrito de Araras, no Rio de Janeiro.