Categorias
Memória

UFRJ comemora 88 anos e debate futuro

O futuro da Ilha da Cidade Universitária foi o principal ponto de discussão das comemorações dos 88 anos da UFRJ, completados no último domingo (7) e comemorados nesta segunda-feira, durante a 44ª Plenária de Decanos e Diretores.

   Assista ao vídeo sobre os 88 anos da UFRJ

  Assista à reportagem da cerimônia de 88 anos da UFRJ


O futuro da Ilha da Cidade Universitária foi o principal ponto de discussão das comemorações dos 88 anos da UFRJ, completados no último domingo (7) e comemorados nesta segunda-feira, durante a 44ª Plenária de Decanos e Diretores.

Fundada por um decreto de 7 de setembro de 1920, a Universidade do Rio de Janeiro, como foi chamada inicialmente, reunia a Faculdade de Medicina, a Escola Politécnica e a Faculdade de Direito. Posteriormente, foram criadas as demais unidades que, hoje, compõem uma das maiores universidades federais do país.

O Plano Diretor UFRJ 2020 foi o centro do encontro desta manhã, iniciado com a apresentação do grupo Violões da UFRJ. Após a mostra de música de qualidade, Pablo Benetti, coordenador técnico da Comissão formada para discutir o projeto, apresentou aos membros da comunidade universitária presentes ao evento as propostas iniciais do Plano Diretor. O professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) informou que um dos objetivos principais do Plano é possibilitar uma dupla integração: a da Cidade Universitária com o restante do estado do Rio de Janeiro e a integração interna entre as unidades acadêmicas da UFRJ.

Para cumprir essa meta, a universidade pretende adotar medidas de ocupação e mobilidade no interior do campus, levando em consideração a preservação da reserva ambiental existente na Ilha. Dentre as propostas apresentadas, consta a priorização do transporte coletivo e da movimentação de pedestres. “Há a possibilidade de criarmos dois anéis viários que vão definir as áreas universitárias. Nos locais delimitados por esses anéis, a velocidade máxima permitida será menor e a prioridade será do pedestre”, elucida Pablo Benetti.

O professor antecipou também que a atual proposta de ocupação do Fundão contempla investimentos em áreas já ocupadas. Segundo Benetti, o crescimento da Cidade Universitária aconteceu, não raro, de forma desorganizada e predatória ao ambiente da Ilha, o que explica a necessidade de o Plano Diretor UFRJ 2020 consolidar as áreas que já possuem uso universitário.

No evento, foram apresentadas também as diretrizes de médio e longo prazos do Plano. Essas propostas incluem a construção de alojamentos e restaurantes universitários, a reforma do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF) e a expansão do Centro de Ciências da Saúde (CCS). “Vale lembrar também que não haverá nenhuma edificação com menos de 4 pavimentos. Embora essa medida possa parecer radical, queremos trabalhar o espaço da maneira mais econômica e racional possível”, completou Pablo Benetti.

Alguns professores deram contribuições e teceram comentários sobre as propostas apresentadas durante a plenária. Entre as sugestões, destaque para a de construção de espaços de uso compartilhado no campus, com teatros, cinema, ginásio poliesportivo e concha acústica.

O primeiro esboço do Plano Diretor UFRJ 2020 ficará pronto, por determinação do Conselho Universitário (Consuni), em 20 de novembro deste ano. A partir de março de 2009, esse esboço será discutido pela comunidade universitária. Para o reitor Aloísio Teixeira, os segmentos universitários devem se dedicar a esse debate: “Esse é o momento da discussão, de enriquecermos o debate com críticas. Lembro que depende dessas decisões que tomamos agora o futuro da universidade”, pontuou.

O segundo ponto da pauta da 44ª Plenária de Decanos e Diretores foi um balanço da gestão de Beatriz Resende à frente do Fórum de Ciência e Cultura (FCC) da UFRJ. A professora da Faculdade de Letras apresentou um vídeo institucional do Fórum e convidou os presentes para os eventos que serão organizados pela unidade nesse segundo semestre de 2008.