Categorias
Memória

Parque Tecnológico investe no esporte universitário da UFRJ

Doação realizada em setembro pelo Parque Tecnológico da UFRJ beneficia projeto que conta com 350 integrantes em equipes femininas e masculinas de atletismo, basquete, futsal, handebol, judô, natação, vôlei e futebol.

Por Natalia Sales

Uma renovação completa nos uniformes, materiais para treinamento e equipamentos de suporte e infraestrutura serão adquiridos pela Coordenação de Esportes da Escola de Educação Física e Desportos (EEFD) para o projeto Esporte Universitário de Representação da UFRJ com a doação realizada no início de setembro pelo Parque Tecnológico da UFRJ. O projeto conta com 350 integrantes em equipes femininas e masculinas de atletismo, basquete, futsal, handebol, judô, natação, vôlei e futebol (única só masculina) que representam a instituição de ensino em diversas competições universitárias brasileiras.

No total, o aporte é de R$ 450 mil e visa a estimular o desenvolvimento de outros dois projetos: Prêmio Gilberto Velho de Teses, de reconhecimento às melhores teses de doutorado; e o UFRJ Desafia, de competição tecnológica. Para o projeto Esporte Universitário de Representação da UFRJ, promovido pela coordenação da EEFD e pela Divisão de Esportes, Cultura e Lazer da Superintendência Geral de Políticas Estudantis (Decult/SuperEst) são destinados R$ 200 mil.

O projeto, que já tem mais de quatro décadas de existência, conta com a participação de estudantes tanto de graduação quanto pós-graduação da UFRJ desde que estejam regularmente matriculados na universidade e tenham alguma vivência no esporte. O vínculo com a EEFD é dispensável. Hoje, as equipes são compostas por 55% de alunos da Educação Física e 45% dos demais cursos.

Uniformes tinham mais de uma década

Segundo o Técnico Desportivo Antônio Carlos, coordenador de esportes pela EEFD, “O projeto apresentado ao Parque Tecnológico visa à renovação do material esportivo das equipes representativas da UFRJ, desde os uniformes utilizados em competições, que não eram trocados há 10 anos, até os materiais para treinamento, como bolas, por exemplo. Também investiremos na nova lavanderia, através da aquisição de novas máquinas de lavar”, informou Antônio Carlos Neves de Carvalho, que tem formação em licenciatura em Educação Física pela UERJ, especialização em Treinamento Desportivo pela UFRJ e é mestre em Ciência da Atividade Física pela Universo.

Para Telma Fernandes, diretora da Decult, “este é um momento importante para dar visibilidade às parcerias da Superest, que estrutura diversas ações visando contribuir à formação integral do universitário”. Segundo o Coordenador de Esportes, “a atual parceria acontece a fim de fortalecer o Esporte de Representação constituindo uma política estudantil”. O projeto participa anualmente dos eventos organizados pela Federação de Esportes Universitários do Rio de Janeiro – FEURJ, pela Confederação Brasileira de Desporto Universitário – CBDU, dos Torneios das Federações do Rio de Janeiro de Basquete e Voleibol e da Copa Unisinos, em São Leopoldo, Rio Grande do Sul.

A UFRJ já se sagrou campeã geral este ano, levando tanto o título geral dos III Jogos Universitários do Vale do Paraíba – III JUV, realizado em Lorena, interior de São Paulo, quanto o troféu do Torneio Início do Campeonato Carioca Universitário. Atualmente, participa da íntegra da disputa estudantil, com grandes chances de levantar o título geral. No dia 15 de outubro a delegação, irá embarcar para a 27ª Copa Unisinos e o destaque é para a equipe de Vôlei Feminino, que buscará o Tetracampeonato. “Nossa maior dificuldade é na divulgação do esporte dentro da UFRJ. Tem gente que até hoje desconhece as equipes e o trabalho esportivo que realizamos em cada competição.”, disse o coordenador de esportes da EEFD, ressalvando que as informações sobre horário de treino de todas as modalidades e equipes estão no site “Esporte Federal” do Google Sites.

Outros projetos beneficiados

Além do projeto de Esporte Representativo Esportivo da UFRJ, o Parque Tecnológico também investiu nos projetos “Prêmio Gilberto Velho de Teses” e “UFRJ Desafia”. O Prêmio Gilberto Velho de Teses é apoiado pelo Parque Tecnológico da UFRJ desde a sua criação, em 2013, e este ano contará com recursos da ordem de R$ 50 mil, destinados à premiação dos vencedores. O projeto, em parceria com a Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, premia as cinco melhores teses de doutorado defendidas no ano na universidade em cinco áreas distintas: Ciências da Vida, Ciências Tecnológicas e da Natureza, Ciências Sociais e Humanas, Letras e Artes, e Tese Inovadora. Cada vencedor ganhará uma quantia de R$ 10 mil e seus orientadores uma viagem nacional para a participação em eventos científicos.

O outro projeto beneficiado foi o UFRJ Desafia, que é um grupo de competição do Centro de Tecnologia da UFRJ entre diferentes grupos acadêmicos de engenharia.  Um exemplo é a equipe Minerva Aerodesign, de construção de aeronaves voltados para competição no Centro Tecnológico da Aeronáutica, em São José dos Campos (SP); e o Solar Brasil, para construir barcos de competição movidos a energia solar. Outras três equipes também participam da competição. A quantia recebida será de R$ 200 mil e será investida para auxiliar os alunos a desenvolver projetos, obterem experiência necessária para a realidade do mercado empresarial, estimular o trabalho em equipe e a aplicação do conhecimento teórico assimilado na universidade.

Para Leonardo Melo, coordenador de Articulações Corporativas do Parque, a meta é aproximar cada vez mais o Parque Tecnológico das atividades que são ligadas aos alunos da universidade. “Os projetos discentes são fundamentais para consolidar a UFRJ como um polo inovador, jovem e antenado com as demandas do Século XXI”, concluiu.