Categorias
Memória

Sintae debate carreira e qualificação dos técnicos-administrativos no último dia

O último dia do 1º Seminário de Integração dos Técnicos-Administrativos em Educação, ocorrido na última sexta-feira (30/8), foi marcado por um debate acerca da carreira da categoria, intitulado “PCCTAE, limites e perspectivas na ótica do movimento dos Técnicos-Administrativos em Educação da UFRJ”.

Bianca Pinheiro

Palestras do SINTAEO último dia do 1º Seminário de Integração dos Técnicos-Administrativos em Educação, ocorrido na sexta-feira passada (30/8), foi marcado por um debate acerca da carreira da categoria, intitulado “PCCTAE, limites e perspectivas na ótica do movimento dos Técnicos-Administrativos em Educação da UFRJ”.

De acordo com os presentes, o tema do debate – que, antes, discutiria o próprio seminário – foi mudado por conta do Dia Nacional de Mobilização e Paralisação, ocorrido, também, na última sexta-feira. O objetivo foi integrar o Sintae à luta e à militância da classe trabalhadora.

Retrospectiva

Antes de dar início ao debate, o superintendente de Pessoal da UFRJ, Agnaldo Fernandes, fez uma retrospectiva dos quatro dias de seminário. Para ele, foi muito gratificante ouvir, ao longo do evento, as experiências de técnicos-administrativos de diversos campi e classes.

Agnaldo também anunciou que todos os trabalhos expostos no Sintae serão publicados, o que provocou uma salva de palmas. O superintendente explicou que, como o resultado foi de grande qualidade, a ideia inicial de haver a seleção de apenas alguns trabalhos para serem publicados foi revogada.

Aumento de qualificação

Participaram da mesa de debate Francisco de Assis, da Coordenação Jurídica e Relações de Trabalho da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra) e do Instituto de Biologia, e Neuza Luzia, da Faculdade de Medicina e ex-diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFRJ (Sintufrj).

Francisco de Assis citou dados da Fasubra a respeito da qualificação crescente dos técnicos-administrativos. Segundo ele, houve aumentos significativos em relação à capacitação profissional dos trabalhadores da categoria. Uma grande parcela desses servidores tem, hoje em dia, graduação e pós-graduação. Francisco disse que a quantidade de técnicos-administrativos com Doutorado subiu de 74, em 2008, para 130, por exemplo.

Para o dirigente sindical, o aumento da qualificação dos técnicos-administrativos está relacionado ao estímulo que a categoria recebe para capacitação. Ele dá como exemplo de incentivo o próprio seminário, cujo certificado de participação permitirá que os funcionários de classe A da UFRJ ascendam de nível.

Carreira

Palestras do SINTAENeuza Luzia acredita que há aspectos da carreira do técnico-administrativo em educação que precisam ser debatidos – como a progressão funcional –, pois a profissão só começou a alcançar conquistas em 2005, com a instituição do Plano de Carreira dos Servidores Técnico-Administrativos em Educação (Pcctae).

Para ela, o técnico-administrativo ainda não tem seu papel como profissional da educação reconhecido. Por isso, considera que se deve discutir novamente o cargo único, pois a ausência da definição de cargo no ingresso na instituição reafirmaria a função desse servidor público como ator nas atividades educativas que exprimem o objetivo da universidade.

Neuza Luzia avalia que deve haver uma parceria entre os técnicos-administrativos e a instituição para que haja o desenvolvimento. Segundo ela, sem essa cooperação, não há motivação para trabalhar, uma vez que o funcionário sente que suas questões são deixadas de lado pela universidade.

Já Francisco diz que, apesar de haver espaço para os técnicos-administrativos participarem das decisões da instituição, há uma desmobilização da categoria. Para ele, é necessário, portanto, que haja mais edições do Sintae, cujo objetivo é integrar esses servidores.

Fechamento

Ao final do debate, Roberto Gambine, pró-reitor de Pessoal da UFRJ e organizador do Sintae, fez um discurso para fechar o evento. Ele manifestou apoio ao aumento da qualificação dos técnicos-administrativos, dando como exemplo de incentivo à capacitação os cursos oferecidos pela UFRJ aos funcionários.

Gambine também convocou os técnicos-administrativos em educação à luta, pois, segundo ele, há necessidade de suporte e força política da categoria para realizar mudanças, uma vez que o dirigente público, sozinho, não é capaz de alcançar todos os objetivos pretendidos.

O pró-reitor agradeceu a presença dos convidados e da categoria e reafirmou a qualidade e a riqueza dos trabalhos desenvolvidos e apresentados pelos técnicos-administrativos durante o Sintae, que, para ele, deixou a lição de que esses servidores públicos são parte fundamental da instituição, realizando muito mais do que um trabalho apenas burocrático.