Categorias
Memória

Residência Estudantil terá sua primeira reforma geral

Ação inédita na história da UFRJ integra série de medidas voltadas para assistência estudantil que inclui a criação de um novo complexo residencial na Cidade Universitária.

Angélica Fontella

Ação inédita na história da UFRJ integra série de medidas voltadas para assistência estudantil que inclui a criação de um novo complexo residencial na Cidade Universitária

A Residência Estudantil da UFRJ passará por uma reforma geral, que entregará 504 módulos totalmente novos aos estudantes beneficiados pelo serviço. Essa é a primeira reforma estrutural em toda a história da Residência Estudantil e, por isso, foi dividida em três fases. Cerca de R$ 11 milhões serão investidos no projeto.

A primeira etapa, emergencial, inclui a parte interna dos módulos (estruturas de um ou mais quartos), o espaço de circulação dos andares, o telhado e as instalações elétrica e hidráulica; a segunda está concentrada no térreo, onde funcionam serviços e facilidades do prédio; já a terceira reformará a fachada e as esquadrias do prédio.

“Com as obras, os estudantes que moram na Residência Estudantil poderão usufruir de um espaço totalmente adequado às suas necessidades, mais seguro e confortável. Além da recuperação, estão em curso obras para construção de um novo complexo, visando diminuir o déficit de moradia em nossa universidade”, afirma o reitor da UFRJ, Carlos Levi.

 

 

Na recuperação do complexo, acessibilidade e segurança foram priorizadas. “O projeto não prevê, em momento algum, botijões ou fogões a gás dentro dos módulos. Inclusive, já recebemos demanda do corpo de bombeiros e começaremos a trabalhar no projeto de adequação do prédio às normas de incêndio”, disse o prefeito da Cidade Universitária, Ivan Carmo.

Segundo Ivan, cada fase contará com uma licitação diferente. “Houve divisão do projeto em três etapas, com uma licitação para cada uma delas, visando agilizar o processo. A divisão do processo foi a forma encontrada para que as necessidades dos alunos residentes pudessem ser atendidas o mais rápido possível”, afirmou.

O processo de licitação teve início no dia 8 de outubro, quando o Aviso de Licitação foi publicado no Diário Oficial da União. No dia 12 do mês seguinte, na Sala da Administração da Residência Estudantil, foi realizada abertura pública dos envelopes com as propostas, acompanhada de perto pelos alunos residentes. Atualmente, está em curso a avaliação técnica das propostas.

A recuperação total do prédio integra o projeto de revitalização e humanização da Cidade Universitária, conforme estabelecido no Plano Diretor da UFRJ, do qual também faz parte a construção de um novo complexo residencial. As obras para esse novo projeto já estão em andamento e vão disponibilizar, pelo menos, 500 vagas aos alunos da universidade, com recursos provenientes do Programa de Reestruturação e Expansão da UFRJ.

Está em curso, ainda, sob responsabilidade da Superintendência-geral de Políticas Estudantis da UFRJ, em parceria com o Sistema de Bibliotecas e Informações da UFRJ (Sibi), um projeto de revitalização da biblioteca local, com objetivo de transformá-la em área múltipla de leitura, lazer e cultura.

As obras da reforma geral terão duração de 20 meses e têm previsão de término para agosto de 2014.

Auxílio extra para novos beneficiados pelo programa de moradia

Estudantes que foram contemplados pelo programa de moradia da UFRJ e que, devido ao planejamento das obras, não puderam se mudar para a Residência Estudantil estão em lista de espera, recebendo uma compensação emergencial, no valor de R$ 400, além de um auxílio-moradia, de mesmo valor, recebido regularmente por todos os residentes.

Segundo o superintendente-geral de políticas estudantis da UFRJ, Antonio José de Oliveira, “a universidade atende a cerca de 430 alunos residentes, oficialmente contemplados com bolsa-auxílio moradia. As vagas restantes foram reservadas para o provável remanejamento de alunos, no decorrer das obras”.
 
Daiane Cardoso, aluna do segundo período de Comunicação Social, veio do interior de São Paulo para estudar na UFRJ. Integrante da lista de espera, ela usa o auxílio emergencial para pagar um aluguel, na Zona Norte do Rio: “Recebo as duas bolsas e não tenho tido nenhum problema para recebimento. Os valores são creditados em minha conta todos os meses, no prazo especificado. Para que isso ocorra, porém, temos que apresentar à Divisão de Assistência ao Estudante o comprovante da residência alternativa atual”.

"Tenho boas expectativas. Meu curso fica no campus da Praia Vermelha e sinto que estar no campus do Fundão me proporcionaria um contato maior com cursos de outras áreas, o que, para mim, é bastante relevante para meu crescimento acadêmico. Além disso, há dois fatores de ordem prática: o transporte gratuito intercampi e os restaurantes universitários, que diminuiriam minhas despesas com transporte e alimentação”, disse a estudante.