Categorias
Memória

Livro resgata contribuição de Leopoldo de Meis à divulgação científica

Livro "Um gesto ameno para acordar o país – A ciência no Jornal do Commercio (1958-1962)" resgata a memória da produção científica do país e a contribuição de Leopoldo de Meis à popularização do conhecimento.

Na década de 50, o Jornal do Commercio publicava pela primeira vez, nas edições de domingo, a coluna de ciência. Era o começo de uma história que seguiria até 12 de agosto de 1962, data do último suplemento localizado. Foi para resgatar essa história que o professor da UFRJ Leopoldo de Meis, em parceria com as jornalistas Luisa Massarani e Claudia Jurberg, editou o livro Um gesto ameno para acordar o país – A ciência no Jornal do Commercio (1958-1962). Com versão digital disponível no site www.museudavida.fiocruz.br, a obra resgata a memória da produção científica do país e, em especial, a contribuição do docente à popularização do conhecimento.

Leopoldo de Meis era um jovem estudante de iniciação científica quando, a convite de Walter  Oswaldo Cruz, pesquisador do Instituto Oswaldo Cruz, foi convidado para integrar a equipe da coluna de ciência. Lá chegou a dividir o salário com outro jovem, Carl Peter von Dietrich, que mais tarde seria professor da Universidade Federal de São Paulo e membro da Academia Brasileira de Ciências, falecido em 2005.

De acordo com o material de lançamento, produzir o suplemento naquela época foi “um gesto ameno para acordar o país na manhã de sua era de industrialização”. Cinco textos compõem a publicação. O primeiro, de Maurício Dinepi, diretor-presidente do Jornal do Commercio, traz um histórico do periódico. Em seguida, Meis conta detalhes da rotina de produção do suplemento em entrevista a Marina Verjovsky e Claudia Jurberg. Em outro capítulo, Bernardo Esteves enumera algumas das iniciativas de divulgação científica na imprensa brasileira entre a segunda metade da década de 40 e o início dos anos 60, com destaque para o suplemento dominical Ciência para Todos, publicado no jornal carioca A Manhã entre 1948 e 1953. Ildeu de Castro Moreira e Luisa Massarani, por sua vez, analisam a página dominical do Jornal do Commercio à luz do contexto político da época. Por fim, Marina Verjovsky, Tainá Rêgo e Claudia Jurberg dedicam-se a analisar todas as notícias de saúde publicadas pelo periódico nesse período.