Categorias
Memória

Professor Stevens Rehen é eleito uma das cem personalidades mais influentes de 2011

O professor Stevens Rehen, diretor do Laboratório Nacional de Células-tronco Embrionárias (Lance) da UFRJ, foi eleito pela revista Época uma das cem personalidades mais influentes de 2011. Escolhidas pela redação da revista, a eleição é realizada desde 2007 e está dividida em quatro categorias – líderes, heróis, construtores e artistas.

O professor Stevens Rehen, diretor do Laboratório Nacional de Células-tronco Embrionárias (Lance) da UFRJ, foi eleito pela revista Época uma das cem personalidades mais influentes de 2011. Escolhidas pela redação da revista, a eleição é realizada desde 2007 e está dividida em quatro categorias – líderes, heróis, construtores e artistas.

Rehen foi selecionado na categoria construtores por seu trabalho no desenvolvimento de pesquisas com células-tronco para desvendar os processos bioquímicos no cérebro de pacientes com esquizofrenia. A análise é baseada em células da pele dos pacientes transformadas em neurônios, fazendo com que o procedimento seja menos invasivo e mais eficiente.

A geneticista e professora do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP) Mayana Zatz, em texto publicado na revista, ressaltou a importância de Rehen na aprovação das pesquisas com células embrionárias no Brasil e sua luta pela diminuição da burocracia, que prejudica a ciência. “Sempre afirmei que ser só cientista é muito pouco, e acredito que Stevens Rehen também pensa assim. Ele se deu conta que não podemos nos restringir ao laboratório”, afirmou Mayana.

De acordo com Helio Gurovitz, diretor de redação da Época, a escolha das personalidades do ano foi feita com base na sugestão de especialistas, leitores e no noticiário ao longo de 2011. “A definição de influência usada para incluí-las na lista é a mesma das quatro edições anteriores: ter, ao longo do ano, dado a prova de poder, talento, realização ou exemplo moral”, afirmou Gurovitz.

Rehen também está concorrendo na categoria Ciência/História do prêmio Faz Diferença do jornal O Globo. A votação é popular e vai até dia 23 de dezembro, pelo site do jornal. Neste mesmo prêmio está concorrendo, na área da Saúde, a professora Denise Carvalho, diretora do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF) da UFRJ.