Categorias
Memória

Encontro vai discutir graduação em Saúde Coletiva

Primeiro Encontro Nacional dos Estudantes de Saúde Coletiva (Enesc) acontece no campus da UFRJ na Praia Vermelha, entre 20 e 24 de abril.

O primeiro Encontro Nacional dos Estudantes de Saúde Coletiva (Enesc) acontece no Rio de Janeiro em abril. O evento tem a proposta de reunir alunos de graduação das principais instituições federais de ensino superior brasileiras para discutir como está sendo a formação de uma nova safra de sanitaristas no país, a partir de três eixos principais: educação, sociedade e trabalho.

De acordo com a estudante do curso na UFRJ Laís de Almeida Relvas Brandt, uma das organizadoras do encontro, os três temas estarão passando de alguma maneira pela programação do encontro. “Em relação à sociedade, escolhemos debater sobre as demandas sociais e a promoção da saúde nas áreas urbanas. Quanto à educação e ao trabalho, optamos por discutir a formação na área. Que profissional é esse? Quem é o sanitarista formado em Saúde Coletiva?”, esclarecendo que a carreira é nova nas universidades.
 
A formação do sanitarista sempre ocorreu sob a forma de especialização nos cursos de pós e doutorado, segundo Renan Duarte dos Santos, outro integrante da equipe organizadora do I Enesc. “Estamos preocupados com os rumos da construção do curso que ainda é muito recente. Saber como é possível melhorar, tanto aqui na UFRJ como em cada uma das outras universidades, o que já está sendo trabalhado é também uma de nossas propostas”.

Como é o primeiro encontro oficial ainda se definirá, por exemplo, se é desejo dos estudantes formar uma Executiva de Curso de graduação, que é uma espécie de Centro Acadêmico (CA) nacional, como já existe em muitas outras áreas. Outro ponto a discutir será a escolha de um símbolo que identifique o curso de Saúde Coletiva em todo o Brasil. No entanto, o tema mais importante em debate será sobre a regulamentação da profissão.

Segundo Laís Relvas, o tema promete ser bastante polêmico.  “Quais os modelos de regulamentação da profissão? Queremos ou não regular? Vamos criar um sindicato, uma associação ou um conselho? Isso vai dar muito pano para manga, já que vamos decidir em uma área em que muitos sanitaristas não são formados em nível de graduação. A princípio não há nenhum posicionamento, mas queremos ter um olhar crítico sobre o tema”, diz ela, que tem a expectativa de ver o curso em Saúde Coletiva sair do encontro com mais organização e força política.

Para João Roberto Cavalcante Sampaio, outro estudante que trabalha para realizar o Enesc, muitas pessoas não sabem bem o que é o curso de graduação em Saúde Coletiva e os debates vão mostrar para a sociedade o que esse profissional faz no dia a dia. “Vamos ajudar a responder uma questão que muita gente se faz na hora de escolher o curso de nível superior. O que é esse curso, o que vou estudar e que profissão eu vou seguir?”, comenta.

O I Enesc acontece entre os dias 20 e 24 de abril, no campus universitário da Praia Vermelha e contará com a participação de, além da UFRJ, estudantes das universidades federais do Acre, Bahia, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Brasília e Mato Grosso. A programação completa do encontro e as informações sobre inscrição de participantes e trabalhos científicos podem ser encontradas no blog do evento.