Categorias
Memória

Parque Tecnológico do Rio de Janeiro

Com data de conclusão prevista para 2014, o empreendimento vai promover a interação entre empresas e universidades interessadas em projetos de pesquisa e desenvolvimento nos setores de energia, meio ambiente e tecnologia da informação.

O Parque Tecnológico do Rio de Janeiro, situado na Cidade Universitária, vai ocupar 350 mil metros quadrados e gerar milhares de oportunidades de trabalho até 2014, data prevista para a conclusão. O empreendimento vai promover a interação entre empresas e universidades interessadas em projetos de pesquisa e desenvolvimento nos setores de energia, meio ambiente e tecnologia da informação. Estima-se que mais de 200 empresas vão se instalar na área, tal como a Schulumberger, cujo centro de pesquisas foi inaugurado em novembro de 2010. A parceria mais recente foi confirmada em fevereiro de 2011, quando em encontro com a presidente Dilma Roussef a direção da General Eletric (GE) anunciou o aporte de US$ 550 milhões na expansão de suas operações no Brasil, dos quais US$ 150 milhões são destinados ao Centro de Pesquisas Global, projeto da multinacional que será implantado no Parque Tecnológico do Rio.

Apesar de a maioria das empresas estar direcionada para a área de petróleo, o pré-sal acena para outras necessidades: “os desafios do pré-sal exigem pesquisas nas mais diversas áreas de Engenharia. A chegada da GE amplia a possibilidade de pesquisas em Engenharia Elétrica e Biomédica”, explica o Decano do Centro de Tecnologia da UFRJ, Walter Suemitsu, um dos núcleos beneficiados diretamente com a concentração de empresas com tecnologias de ponta nos arredores da Cidade Universitária. O professor esclarece que a Decania espera que “as empresas do Parque Tecnológico realmente invistam em pesquisa e desenvolvimento na UFRJ e que os professores possam desenvolver projetos conjuntos com as mesmas de modo a elevar a qualidade do ensino, da pesquisa e da extensão na Universidade".  

A expectativa do professor tem base no Programa de Cooperação com a UFRJ que deve ser apresentado por todas as empresas candidatas a ocupar espaço no Parque Tecnológico do Rio. Com este recurso, ficam assegurados o desenvolvimento de projetos conjuntos de pesquisa, programas de estágios, bolsas, contratação de mestres e doutores e capacitação dos profissionais das empresas na Universidade. Walter Suemitsu esclarece ainda que as empresas assumem o compromisso de desenvolver ações sociais na Cidade Universitária ou em áreas próximas: "Neste sentido, a Schlumberger montou um laboratório de informática no Colégio Municipal Tenente Antonio João para possibilitar sua participação na iniciativa SEED – Schulemberger Excellence in Education Development".

Além da GE, terão participação no empreendimento a Petrobras, Usiminas, IBM, Baker Huges, FMC Tecnologies, Halliburton, TenarisConfab  e a Incubadora de Empresas da Coppe/UFRJ. Há ainda a presença dos laboratórios Lab Oceano, Núcleo de Estruturas Oceânicas (NEO), Centro de Excelência em Gás Natural (CEGN), um centro de realidade virtual vinculado ao Laboratório de Métodos Computacionais em Engenharia (Lamce) e o Núcleo de Tecnologias de Recuperação de Eco-Sistemas (Nutre).