Categorias
Memória

UFRJ economiza R$ 28 milhões mensais com mídia espontânea

Levantamento evidencia a importância da Comunicação Institucional no autoconhecimento da UFRJ e no fortalecimento da relação da universidade com a sociedade.

Levantamento constata que mais de 3 mil matérias sobre a UFRJ são veiculadas mensalmente na mídia e evidencia a importância da Comunicação Institucional no autoconhecimento da UFRJ e no fortalecimento da relação da universidade com a sociedade.
 
Um estudo realizado por empresa de monitoramento de informações concluiu que estar na mídia rende cerca de R$ 28 milhões por mês em retorno publicitário para a UFRJ. A pesquisa avaliou a presença da universidade e de seus Centros nas matérias produzidas, no mês de maio, pelos principais veículos de comunicação da mídia impressa, eletrônica e online.
 
O maior retorno provém da Comunicação eletrônica — TV e rádio — responsável por gerar R$ 12,6 milhões mensais, seguida pela Comunicação online — internet
, com R$ 8,6 milhões. A mídia impressa, composta por jornais e revistas, por sua vez, gera a quantia de R$ 7,4 milhões em retorno publicitário.
 
No período de 30 dias, a Coordenadoria de Comunicação (CoordCOM) e as demais assessorias de imprensa da UFRJ apresentaram, segundo a pesquisa, 3.154 matérias para veículos de comunicação diversos, o equivalente a 77 páginas de jornal no formato standard (a exemplo de O Globo).
 
A Decania do Centro de Tecnologia é a que mais repercute na mídia, de acordo com o estudo. Foram 813 reportagens sobre temas como, por exemplo, Biodiversidade, Desenvolvimento Sustentável e Produção de Energia. O Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE) gerou pauta para 460 reportagens e o Centro de Ciências da Saúde (CCS) para 439. Já os Centros de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) e o de Letras e Artes (CLA) registraram, respectivamente, 297 e 153 notícias.
 
O assunto mais comentado do mês de maio foi a reintegração de posse do Canecão à UFRJ. O episódio estimulou a confecção de 235 matérias acerca da instituição e 250 inserções em jornais de grande circulação. O relatório apontou também que uma única matéria, com entrevista de um professor da UFRJ sobre tristeza e veiculada pela revista IstoÉ, gerou cerca de 330 mil reais em mídia espontânea para a universidade.
 
A análise evidenciou que, mesmo as notícias negativas relacionadas à UFRJ, correspondentes a 0,5% do total de matérias veiculadas, geram retorno publicitário. No mês de maio, a universidade obteve cerca de R$ 230 mil em função de conteúdo com impacto negativo.
 
Clique aqui e acompanhe o relatório produzido pela Info4, que será feito mensalmente.