Categorias
Memória

Aprovada a alocação de vagas para 251 novos professores

O Conselho Universitário (Consuni), reunido nesta quinta-feira (20/5), aprovou a distribuição de vagas para 251 novos professores. O Conselho seguiu, em linhas gerais, o que fora estabelecido pela Comissão Temporária de Alocação de Vagas Docentes (Cotav), que após meses de metódico trabalho — diversas vezes enaltecido pelos conselheiros — distribuiu entre as diversas unidades acadêmicas da UFRJ 245 vagas.

A Comissão de Desenvolvimento do Consuni sugeriu o acréscimo de seis vagas: quatro para a Faculdade de Direito, uma para o Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF) e uma para o Instituto de Microbiologia Professor Paulo de Góes (IMPPG). Além destas 251 vagas a serem destinadas a professores adjuntos ou assistentes, 60 vagas para professores titulares serão distribuídas na medida em que as unidades tenham três vacâncias. Como esse processo tende a demorar três anos, por recomendação da professora Diana Maul, do Centro de Ciências da Saúde (CCS), as unidades podem optar pela vaga de professor titular imediatamente, caso já possuam vacâncias, e adiar o ingresso dos professores adjuntos aos quais teriam direito.

Apesar dos elogios ao trabalho da Cotav e da aprovação, quase irrestrita, da distribuição feita pela Comissão, Diana Maul ponderou que os critérios para alocação de vagas docentes ainda estão longe do ideal. O professor Fernando Infantosi defendeu que a questão de alocação de vagas não é puramente numérica e que a avaliação do trabalho do corpo docente e da qualidade de ensino são essenciais. Ele destacou que 245 vagas docentes representam gasto anual de 130 milhões de reais aos cofres públicos e que sem planejamento a universidade gastaria mal o dinheiro público. No entendimento dos estudantes, expresso pelo conselheiro discente Héber Bispo, a avaliação do corpo docente feita pelos estudantes deveria ser usada como parâmetro em futuros trabalhos da Cotav.

Um momento de pesar e outro de louvor

O Consuni aprovou menção de pesar pelo falecimento de Francisco Eduardo Santiago Cohen, professor aposentado da Escola Politécnica — e irmão da professora Ângela Uller, pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa — ocorrido na última quarta-feira (19/5). Também foi aprovada menção de louvor à professora Lília Pougy, da Escola de Serviço Social, que foi homenageada pela Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, no dia 15 de maio, o Dia do Assistente Social, por sua destacada atuação na temática de gênero e violência doméstica.