Categorias
Memória

“Direitos Humanos em Tela” exibe “Que bom te ver viva”

Projeto de Extensão  “Direitos Humanos em Tela”,  do Nepp-DH da UFRJ, apresenta, no próximo dia 28, o filme Que bom te ver viva (1989), de Lúcia Murat.

 

O Núcleo de Estudos de Políticas Públicas em Direito Humanos (Nepp-DH) da UFRJ – órgão Suplementar da UFRJ, vinculado ao Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) – através de seu curso de extensão “Direitos Humanos em Tela”, realiza a apresentação, no próximo dia 28, do filme Que bom te ver viva (1989), de Lúcia Murat.

A exibição acontece no auditório do prédio anexo do CFCH, do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), às 14h, e contará com um debate entre a diretora e a professora Rosalina Santa Cruz, da Faculdade de Serviço Social da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Protagonizado pela atriz Irene Ravache, o filme conta a história de ex-presas políticas durante o período da resistência militar e aborda, através de depoimentos, os dramas vividos por elas. Segundo o Nepp-DH, “mais que um filme de ficção, a história é um misto da realidade de mulheres brasileiras que falam de sofrimento, dor e humilhação para a reconstrução de suas vidas.”

Além de dirigir, Lucia Murat também assina o roteiro. No período militar, a cineasta foi presa e torturada pelos agentes da repressão. Em 2004, retornou ao tema e usou sua experiência para filmar o premiado Quase dois irmãos. Sua filmografia inclui ainda Doces poderes (1997), Brava gente brasileira (2000), Olhar estrangeiro (2006), entre outros.

Já Rosalina Santa Cruz, também ex-presa política, assistente social e membro da comissão de mortos e desaparecidos pela ditadura, foi secretária municipal de assistência social de São Paulo, durante o governo Luiza Erundina, entre 1990 e 1992.

O CFCH da UFRJ fica no campus da UFRJ na Praia Vermelha. A entrada é franca.