Categorias
Memória

Mundo das celebridades em debate na ECO

Aula inaugural do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFRJ discutiu o tema “Celebridades e Narcisismo em Redes Sociais na Internet”.

Alex Primo, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), foi o convidado da aula inaugural do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM) da UFRJ, realizada nesta quarta (24/03), no Auditório Manoel Maurício de Albuquerque, no Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), no campus da UFRJ na Praia Vermelha. O evento, mediado pelo coordenador João Freire Filho, teve como tema “Celebridades e Narcisismo em Redes Sociais na Internet”.

Membro fundador da Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura (ABCiber), Alex Primo considera que as celebridades  estão ocupando o lugar do herói tradicional em nossa sociedade. A diferença, segundo o professor e pesquisador, é que estes ganharam notoriedade por seus feitos, reconhecidos como heróicos, ao contrário daqueles. “Hoje temos celebridades que não fizeram nada para se tornar célebres. Veja os casos de Joana D´arc e o de Paris Hilton, por exemplo”, citou.

Mercadorias

De acordo com o docente, o culto aos famosos “revela o vazio de nossa existência”. Nas artes, Primo lembra que os outrora ídolos de produção foram substituídos pelos ídolos de consumo. “A relação entre fã e celebridade é uma relação de consumo de uma imagem mediada”, explica. O professor lembra ainda a falsa impressão de intimidade criada entre fã e seu ídolo. “É o que chamamos de relação parassocial. Ela é construída através da mídia e não pela experiência direta, no encontro cara-a-cara”, diz.

O que alimenta o culto aos famosos é, segundo Primo, o sentimento de narcisismo, tanto por parte do ídolo, como do lado do público. “Narcisismo compreende autoadmiração, visão inflada de si mesmo e não necessariamente autoestima elevada. Tanto o sujeito, como o objeto de idolatria são seres narcísicos: este pela necessidade de exposição, e aquele pelo desejo de ser conhecido e amado como seu ídolo”, comenta.

O exemplo da ex-BBB Tessália, que foi convidada a participar do programa televisivo a partir de se perfil na rede social Twitter, também foi lembrado pelo pesquisador. “No entanto, alguns blogueiros que se pensam famosos são celebridades na blogosfera e não da blogosfera”, diferencia. “A internet está reproduzindo em seu conteúdo a mesma lógica das mídias de massa”, conclui o docente.