Categorias
Memória

Professores da UFRJ integram comissão da Capes

Objetivo é elaborar o Plano Nacional de Pós-Graduação relativo ao período 2011-2020. Comissão tem até o dia 30 de outubro para apresentar proposta.

Foi instituída, no último dia 22 de fevereiro, a Comissão Nacional responsável pela elaboração do Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG), relativo ao período 2011-2020. A comissão tem até o dia 30 de outubro de 2010 para apresentar a proposta. Adalberto Ramon Vieyra, professor da Escola de Química, e Ricardo Gattass, professor do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF/UFRJ), integram a comissão presidida por Francisco César de Sá Barreto, professor emérito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O PNPG é um documento que sintetiza as diretrizes que norteiam as políticas públicas de qualificação de pessoal em nível de mestrado e doutorado, integrando os rumos da pós-graduação ao sistema universitário nacional e às políticas de desenvolvimento socioeconômico e científico-tecnológico do país.

Editado a cada seis anos, o Plano faz um diagnóstico da pós-graduação nacional. A partir desta avaliação, apresentam-se propostas de diretrizes, cenários de crescimento do sistema, metas e orçamento para a execução de ações. A versão atual do PNPG compreende o período de 2005 a 2010.

Para a elaboração do Plano, institui-se uma comissão, formada por representantes de todos os segmentos que atuam na pós-graduação: universidades e pró-reitorias, sociedades científicas, coordenadores de programas e cursos de pós-graduação, representantes de área da Capes, comitês assessores do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), comitês gestores dos fundos setoriais do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), Associação Nacional de Pós-Graduandos e setor empresarial. O PNPG também passa por discussão em encontros promovidos em instituições de ensino superior selecionadas por membros da comissão.

Concluídos os trabalhos, a proposta do PNPG é apresentada ao Conselho Superior da Capes. O último ato é a aprovação pelo ministro da Educação.