Categorias
Memória

Compromisso social

Durante o discurso de posse, Flávio Martins, novo diretor da Faculdade de Direito, afirmou que a unidade deve "romper com o pacto da mediocridade".

 Em cerimônia realizada no auditório da Faculdade de Direito (FD) da UFRJ, na última quinta, dia 17, na qual estiveram presentes diversos membros da administração central da UFRJ e autoridades de diferentes instituições jurídicas, Flávio Alves Martins tomou posse do cargo de diretor da unidade. Tendo como vice a professora Ana Lúcia da Silva, Martins ficará à frente da FD no quadriênio 2009-2013.

Durante a solenidade, Martins resgatou momentos da história da Faculdade de Direito, uma das unidades mais antigas da UFRJ. O novo diretor pontuou que, embora tenha sofrido um processo de degradação institucional nas últimas décadas, a FD nunca deixou de ser referência no estudo de Direito no Brasil e no exterior. O professor ressaltou que, a despeito do passado, a unidade deve manter os olhos no futuro: “Olhar para o futuro. É para isso que eu conclamo toda a comunidade acadêmica desta faculdade”, disse.

Eleito com 46,66% dos votos, o novo diretor se comprometeu a consolidar o período de normalidade das atividades acadêmicas, instituído no mandato de Juliana Magalhães. Durante o discurso, Martins enfatizou ainda a necessidade de professores e alunos sobreporem a responsabilidade com a transformação da Faculdade de Direito a seus objetivos individuais de carreira. “Somos uma universidade pública, temos compromissos com o contribuinte deste país e temos que devolver o que ganhamos da sociedade. Queremos um Direito voltado para a nossa realidade social e, para isso, temos que romper com o pacto da mediocridade, no qual alguns ensinam, uns produzem e outros fingem”, destacou.

O reitor Aloisio Teixeira destacou a importância da mobilização dos estudantes na retomada do processo democrático na FD. “Vários foram os reitores que tentaram intervir na situação dramática em que se encontrava a Faculdade de Direito. O nosso sucesso se deveu a um fato que deve ser lembrado: a posição dos estudantes. Foram eles que permitiram à Reitoria começar a mudar a realidade da unidade. Fatos como esse são importantes, porque conhecer o passado é indispensável para buscar o futuro”, ponderou.