Categorias
Memória

Estudo busca soluções para enchentes em áreas urbanas

Ocupação de áreas ribeirinhas e lançamento de lixo e esgoto no rio provocam a degradação da mata ciliar, diz estudo.

A falta de planejamento urbano cria nas grandes cidades áreas impermeabilizadas de solo que dificultam o escoamento das águas de chuva e causam enchentes e alagamentos. Para tentar solucionar o problema, a aluna de Engenharia Civil Fernanda Spitz Dias, bolsista CNPq/PIBIC, vem pesquisando um projeto de Redes de Drenagem de Águas Pluviais, no qual visa a estudar e aplicar um programa de computador para fazer o dimensionamento dessas redes. O trabalho foi apresentado, na última quinta, dia 8, durante a XXXI Jornada Científica da UFRJ.

De acordo com o estudo, a ocupação de áreas ribeirinhas provoca normalmente a degradação da mata ciliar. No entanto, dia o estudo, o lançamento de lixo e esgoto no rio é a situação mais crítica em épocas de cheia nos rios. A situação se agrava nas cidades que não deram importância ao planejamento de ocupação urbana e ao projeto de microdrenagem.

A pesquisa, que é orientada pelo professor Jorge Henrique Prodanoff, analisa causas e formas de controle de inundações urbanas, através do estudo do uso do solo, hidrologia urbana, medidas estruturais e não estruturais de controle e prevenção de inundações urbanas.

Também faz parte do estudo a aplicação de um programa computacional, StormNet, um avançado simulador que disponibiliza a análise e a modelagem de sistemas de drenagem urbana, coletores de águas pluviais e de sistemas sanitários. Fernanda  fez simulações com base em dados da Avenida Um, na Cidade Universitária, obtendo medições do nível das águas da chuva e mapeando uma rede de drenagem.

A estudante afirmou que o projeto está sendo analisado para implantação pelo Plano Diretor da UFRJ, o que poderia evitar alagamentos em determinadas áreas da Cidade Universitária. “Os principais objetivos do desenvolvimento da pesquisa são proporcionar a disposição mais eficiente das instalações de drenagem e estabelecer procedimentos para criação de sistemas de drenagem urbana capazes de oferecer condições melhores de conforto e segurança quando da ocorrência de eventos chuvosos”, concluiu a estudante.