Categorias
Memória

Seminário internacional debate mudanças e tendências da televisão

Especialistas analisam mudanças ocorridas na programação da TV no Brasil.

O Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura (PPGCOM) da UFRJ  realizou na terça-feira, dia 25, o Seminário Internacional A TV em transição: tendências de programação no Brasil e no mundo. Durante o evento, realizado no Salão Dourado do Fórum de Ciência e Cultura (FCC/UFRJ), pesquisadores de diferentes instituições acadêmicas discutiram as mudanças ocorridas na concepção e estruturação dos programas de TV. O encontro teve o apoio da Globo Universidade e do FCC da UFRJ.

A abertura do seminário foi feita por João Freire Filho, coordenador do PPGCOM/UFRJ. Ele explicou que a escolha do tema surgiu de sua perplexidade em relação à ausência de reflexões e análises sobre a televisão no Brasil. “Não há a pretensão de fazer um mapeamento completo da situação. Há o interesse de fazer aqui um panorama abrangente da televisão mundial. Queremos pensar na produção, circulação e consumo dos produtos televisivos”, afirmou João Freire.

Um dos palestrantes convidados, Toby Miller, professor de Estudos Midiáticos da Universidade da Califórnia (EUA), não pôde estar presente por motivos de saúde e enviou um vídeo com sua apresentação gravada. Ele explicou o que é a televisão e por que este meio é tão popular até hoje. Além disso, abordou os discursos utópicos e imaginários em torno da TV. Como exemplo, Miller citou a eleição do presidente americano Barack Obama, que, apesar de ter recebido grande apoio na internet, investiu na campanha televisiva. O interesse do professor é desconstruir os antagonismos entre a internet e a TV e compreender a capacidade que ela tem de se reinventar.

Televisão e sociedade

A primeira mesa do evento foi composta pelas professoras e pesquisadoras Vera França, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Itania Gomes, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), e Gabriela Borges, da Universidade do Algarve (Portugal).

Abordando os processos interativos midiáticos, Vera França disse não concordar com aqueles que afirmam que a “era da TV” chegou ao fim. “Em função dos diálogos com as novas mídias, a TV está mais forte do que nunca”, salientou a professora. Vera também discutiu a relação entre televisão e sociedade, afirmando que a TV “é uma instância da vida social”.

Itania Gomes, pesquisadora na área de comunicação, fez uma análise do telejornalismo e explicou a expansão do infotainment (informação com entretenimento). Além disso, fez uma análise de programas como o Jornal Nacional, da Rede Globo, e Custe o que Custar (CQC), da Bandeirantes.

O seminário prosseguiu no período da tarde com as apresentações de Yvana Fechine, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Bruno Campanella, doutorando do PPGCOM/UFRJ, e Dana Heller, da Old Dominion University (EUA). O conteúdo e a audiência do reality show Big Brother Brasil foi um dos temas abordados pelos palestrantes.  À noite, o público participou do coquetel de lançamento do livro A TV em transição: tendências de programação no Brasil e no mundo, lançado em 2009 pela editora Sulina.