Categorias
Memória

Consuni apoia extraquadros do HUCFF

Extraquadros do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF) buscam apoio do Conselho Universitário nesta quinta-feira (28/5).
 Extraquadros do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF) foram buscar apoio do Conselho Universitário na quinta-feira (28/5). Sem a presença do reitor Aloísio Teixeira, que estava em Brasília tentando acelerar a regularização trabalhista de 851 extraquadros do HUCFF junto ao governo federal, o Consuni aprovou moção de apoio às medidas propostas pela Administração Central aos ministérios da Educação e do Planejamento, Orçamento e Gestão para resolver o caso. Entre elas, a Lei 8.745/93, que prevê a contratação temporária pelo poder público em situações de emergência e recentemente aplicada na Universidade Federal de Santa Catarina para resolver problema semelhante.

 Mesmo descumprindo determinações dos ministérios públicos do Trabalho (MPT) e Federal (MPF) para pôr fim as terceirizações, a Reitoria decidiu continuar pagando os extraquadros para garantir o funcionamento do hospital. Entretanto, a situação preocupa os manifestantes. “Precisamos de uma solução urgente, porque nossos salários estão ameaçados por questões financeiras e legais”, destacou Tiago Xavier, membro da Comissão dos Profissionais Qualificados Extraquadro do HUCFF, afirmando que, mesmo sem nenhuma proteção trabalhista, o serviço é cumprido com total compromisso com a instituição e com os usuários do HUCFF. “Nós não somos dispensáveis. Sem o nosso trabalho, a emergência fecha e há uma drástica redução das operações no Centro Cirúrgico.”

Para o conselheiro Agnaldo Fernandes, representante dos funcionários técnico-administrativos, a situação exige uma resolução efetiva e rápida para um problema que, segundo ele, se arrasta há anos na administração pública: “Eles já foram cooperativados, terceirizados e agora se tornaram extraquadro. O trabalhador não pode pagar a conta pela falta de concursos.” Antes da aprovação da moção, a vice-reitora, Sylvia Vargas, afirmou que todos na universidade estão “sintonizados e atentos às reivindicações dos extraquadros do HUCFF”.