Categorias
Memória

Graduação noturna na Faculdade de Letras

A Faculdade de Letras (FL/UFRJ) pode ganhar um curso noturno de graduação. Em audiência pública na tarde de quarta-feira, 20 de maio, integrantes da comunidade da FL discutiram junto ao reitor Aloísio Teixeira e à pró-reitora de graduação, Belkis Valdman, os trâmites necessários para o desenvolvimento do projeto. A perspectiva inicial é de criação do curso de licenciatura em Português/Literaturas.

A Faculdade de Letras (FL/UFRJ) pode ganhar um curso noturno de graduação. Em audiência pública na tarde de quarta-feira, 20 de maio, integrantes da comunidade da FL discutiram junto ao reitor Aloísio Teixeira e à pró-reitora de graduação, Belkis Valdman, os trâmites necessários para o desenvolvimento do projeto. A perspectiva inicial é de criação do curso de licenciatura em Português/Literaturas.

Segundo Ronaldo Lima Lins, diretor da FL, hoje é um dia histórico, pois marca o momento em que a Faculdade de Letras pode manifestar, diante da Reitoria, a vontade de ter uma graduação no período da noite. “Nós queremos um curso noturno. Afinal, é um desperdício patrimonial termos um prédio que fique sem funcionar durante parte do dia”, afirma Ronaldo. O professor lembra ainda que ter o curso na parte da noite é importante por tornar a graduação mais acessível aos alunos que têm a necessidade de trabalhar durante o dia, além de ampliar o mercado de trabalho para professores.

 A expectativa é de que sejam criadas 60 vagas, sendo 30 para cada semestre. O curso deve contemplar todas as disciplinas oferecidas pela graduação diurna. Por isso, o período mínimo de formação se estende para 5 anos. O projeto será levado à Congregação e deve passar pelo Conselho de Ensino de Graduação (CEG). A pró-reitora de graduação, Belkis Valdman, anunciou durante a audiência que as discussões referentes ao Vestibular 2010 serão fechadas até 5 de junho deste ano e até lá será decidido se o novo curso da Letras já ingressará no próximo concurso de admissão da UFRJ.

Ronaldo Lima Lins lembra, no entanto, que o projeto deve ser pensado e concretizado com calma. “Não é para sair correndo, mas dar partida ao processo. Será uma experiência nova para a Faculdade de Letras, portanto, devemos discuti-la a fundo”, defende o diretor.

Para a concretização do projeto é preciso pensar na infraestrutura, o que contempla a necessidade de contratação de professores e servidores públicos. De acordo com o reitor Aloísio Teixeira, a intenção da Reitoria é de que o curso se torne realidade. “Assumimos um compromisso com a questão dos professores, técnico-administrativos e infraestrutura, pois viabilizar a implantação do curso noturno na Letras vem ao encontro do projeto de manter a Universidade aberta a todos e propiciando o ingresso de alunos de diferentes condições socioeconômicas”, declara Aloísio.