Categorias
Memória

Capes autoriza Pós em Ciências Cirúrgicas

Depois de passar por uma reformulação completa, em face de descredenciamento ocorrido em 2007, o Programa de Pós-Graduação em Ciências Cirúrgicas, do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina recebeu da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) autorização para o funcionamento do Mestrado e Doutorado, em 2009. O resultado saiu na última semana dezembro.

Depois de passar por uma reformulação completa, em face de descredenciamento ocorrido em 2007, o Programa de Pós-Graduação em Ciências Cirúrgicas, do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina recebeu da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) autorização para o funcionamento do Mestrado e Doutorado, em 2009. O resultado saiu na última semana dezembro.

— Trata-se do resgate de uma posição importante para a Universidade e a Faculdade de Medicina, como agente formadora de recursos humanos qualificados, nas últimas três décadas, não só no Rio de Janeiro, como para todo o país. O Programa cumpre, também, um papel relevante no desenvolvimento da pesquisa e produção do conhecimento no Brasil  — informou o Coordenador do Programa, o Professor Alberto Schanaider.

As matrículas para o Programa de Mestrado serão efetuadas entre 13 e 15 de janeiro de 2009, enquanto que, para o Doutorado, o edital do processo seletivo sairá ainda no primeiro semestre de 2009. Segundo Schanaider há uma nova proposta pedagógica com quatro linhas de pesquisa. Os alunos contarão com novos equipamentos (microscópio cirúrgico, sistema de imagem endoscópica, uma central semi-automática para exames bioquímicos), além de novas instalações, no Centro de Cirurgia Experimental (Centro cirúrgico, auditório e biotérios climatizados para animais de laboratório).

A Capes é responsável por avaliar a pós-graduação stricto sensu (Mestrado e Doutorado) em todos os estados brasileiros a cada três anos, atribuindo notas de um a sete, com base em critérios de produção científica, principalmente.

Para Schanaider, a autorização por si não confere, de imediato, uma estabilidade ao referido programa de pós-graduação, “mas a qualidade e a credibilidade serão consolidadas no próximo triênio que temos pela frente. Será um trabalho de todo o corpo docente, com ênfase à produção científica, para demonstrar que somos dignos deste reconhecimento pelo que fazemos e não pela simples concessão de uma autorização”, concluiu.