Categorias
Memória

Comunidade quer restaurantes universitários, residências estudantis e melhores ônibus

O Comitê Técnico do Plano Diretor UFRJ 2020 (CTDP) conheceu, no último dia 8 (segunda-feira), os números da pesquisa realizada pelo Laboratório de Diagnóstico em Opinião (LaDO), sobre os hábitos e anseios da comunidade universitária.

O Comitê Técnico do Plano Diretor UFRJ 2020 (CTDP) conheceu, no último dia 8 (segunda-feira), os números da pesquisa realizada pelo Laboratório de Diagnóstico em Opinião (LaDO), sobre os hábitos e anseios da comunidade universitária. Foram ouvidos, entre os dias 9 e 23 de outubro, 3600 estudantes, professores e servidores técnico-administrativos locados nos campi da Cidade Universitária e da Praia Vermelha, e demais unidades da UFRJ distribuídas pela cidade. Entre as perguntas, espontâneas e induzidas, foram avaliados os meios de locomoção utilizados, alimentação, hábitos de consumo, lazer, entre outras.
 
A população estimada de toda a comunidade foi de 57683 pessoas. Deste total o maior contingente é o de alunos de graduação (36 mil ou 64%).  O Centro de Ciências da Saúde (CCS) foi identificado como o maior órgão da universidade (23%), seguido pelo Centro de Tecnologia (17%) e o Centro de Letras e Artes (15%). O campus da Cidade Universitária é o que abriga o maior número de pessoas (72%). Em segundo lugar aparece a Praia Vermelha (15%), à frente do Largo de São Francisco (onde está o Instituto de Filosofia e Ciências Sociais – IFCS) e da Faculdade de Direito, cada um com 5%%.
 
Entre os serviços, a copiadora aparece como o mais freqüente, sendo utilizado cinco vezes por semana por cerca de 30% dos entrevistados. Também cerca de 30% dos pesquisados disseram utilizar cinco vezes por semana os serviços de alimentação. No entanto, 17% das pessoas consultadas afirmaram não utilizá-los sequer uma vez por semana. O campus da Cidade Universitária é o local onde este serviço é mais procurado, segundo 34% dos entrevistados. Já na Faculdade de Direito e no IFCS, cerca de metade dos usuários disseram não recorrer ao comércio alimentício.
 
Sobre o transporte, cerca de 65% dos entrevistados disseram utilizar o ônibus convencional. O grau de satisfação dos usuários com este meio de transporte, todavia, não chega a animar. Menos de 40% dos pesquisados avaliaram como "regular" a qualidade dos coletivos, enquanto cerca de 30% consideraram como "péssimas" as condições. O dado que chamou a atenção dos integrantes do CTPD, porém, foi o tempo médio de ida e volta entre casa e universidade. 18% dos freqüentadores da Praia Vermelha disseram levar entre duas e três horas por dia no itinerário Casa-UFRJ-Casa. Este também é o tempo utilizado por 15% dos freqüentadores da Faculdade de Direito, IFCS e apenas 14% da Cidade Universitária. "Este dado derruba o mito de que a Cidade Universitária é tida como um local de difícil acesso" avaliou o professor do Instituto de Economia, Carlos Frederico Rocha.
 
A zona norte é a região onde mora o maior percentual de pessoas da comunidade universitária. Nas categorias técnico-administrativos (49%), alunos de graduação (45%) e de pós-graduação (41%) os residentes daquela área superam os demais. Apenas entre os docentes o percentual de residentes na zona sul (44%) é superior aos de outras regiões da cidade. A pesquisa demonstrou ainda que 85% dos entrevistados moram no município do Rio. Grande Niterói (6%), Duque de Caxias (2%) e Nova Iguaçu (1,6%) vêm a seguir.
 
Com relação aos espaços a serem disponibilizados, 70% dos entrevistados apontaram a necessidade de criação de restaurantes universitários, número que "vai ao encontro das ações do CTPD", afirma Pablo Benetti, presidente do comitê. Na pesquisa, onde mais de uma resposta era possível, ginásio poliesportivo (46%), residências estudantis (41%) e centro de convenções (29%) foram espaços bem citados.
 
"Alimentação" foi o item mais citado quando na pergunta sobre sugestões de investimentos, com 14% das respostas. Transporte (12%), Infra-estrutura acadêmica (11,5%) e infra-estrutura física apareceram logo atrás na pergunta que permitia mais de uma resposta.