Categorias
Memória

Professor da Matemática comemora 80 anos

Um encontro realizado pelo Instituto de Matemática (IM) da UFRJ, na tarde de 23 de junho, homenageou o professor Jorge Alberto Barroso pelos seus 80 anos.

 Um encontro realizado pelo Instituto de Matemática (IM) da UFRJ, na tarde de 23de junho, homenageou o professor Jorge Alberto Barroso pelos seus 80 anos. O congresso, que reuniu matemáticos brasileiros e estrangeiros, aconteceu no salão nobre do Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza (CCMN) da universidade.

Ministraram palestra os professores Mário Matos e Jorge Mujica, da Unicamp, além do professor Seán Dineen, da University College Dublin. A sessão em homenagem à Barroso ficou por conta de Luis Adauto Medeiros, professor emérito do IM, que se reuniu aos professores Waldecir Bianchini, diretor do Instituto; Maria Laura, a mais antiga do CCMN, com quase 90 anos; e Walcy Santos, coordenadora do Programa de Pós-graduação em Matemática, os quais juntos compuseram a mesa solene do evento.

Lembranças

O professor Barroso – engenheiro e matemático pela UFRJ, e doutor pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) – faz parte da história do IM desde sua criação até os dias de hoje. Ele participou da primeira reunião do Conselho Diretor do Instituto de Matemática da Universidade do Brasil (IMUB) no dia 6 de março de 1965.

Adauto lembrou que ingressaram juntos como alunos na Universidade do Brasil em 1948, onde desde então já eram colegas, com ideologias diferentes em uma época muito politizada e de mudanças no Brasil. No entanto, segundo ele, tinham uma interseção muito importante: a esperança. Eles queriam mudar o mundo.

– Em 1964 (com o golpe militar), quase que a esperança foi dizimada, e ressurgiu tímida na década de 80 (redemocratização) – lembrou o emérito, que junto ao professor Barrosos foi responsável por grandes mudanças no IM entre 1969 e 1970. Adauto relatou essas modificações que, em suas palavras, determina o Instituto de qualidade que é hoje. E descontraiu os presentes: “Este tempo é rápido, daqui a pouco esse pessoal todo aqui vai estar de cabeça branca como nós, lembrando do que fizeram”.

De fato, eles têm muito que recordar. Graças à luta do professor Barroso, que sempre esteve envolvido com o ensino e pesquisa, a implantação da pós-graduação no IM tornou-se uma realidade. Até hoje, assim como a professora Maria Laura, Barroso freqüenta semanalmente o Instituto, mantendo-se ativo em trabalhos de pesquisa no campo da matemática altamente teórica.

Ao fim da cerimônia, foi das mãos de Maria Laura que o professor homenageado recebeu uma placa de agradecimento pelo seu aniversário e por seu importante trabalho no IM. Não tão forte fisicamente, porém firme nas palavras e no pensamento, ele agradeceu a todos os presentes e organizadores do evento.

– O IM passa por uma época muito boa, com um grau alto na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), quase nota máxima, o que mostra que estamos trabalhando e logo atingiremos o grau máximo. Devemos apoiar os mais jovens para que eles elevem nossa tradição -, declarou Barroso.  Maria Laura, outra “dinossauro” do IM, complementa: “Devemos manter firme a esperança. Apesar dos desenganos, tudo vai melhorar, e quem é jovem deve pensar assim”.