Categorias
Memória

UFRJ assina convênio com BNDES

Convênio com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai destinar R$ 7,1 milhões para a construção de uma unidade ambulatorial no HUCFF.

 O Hospital Universitário Clementino Fraga Filho assinou um convênio com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que destinará R$ 7,1 milhões para a construção de uma unidade ambulatorial. O contrato foi assinado em cerimônia realizada no dia 7 de março, em meio às comemorações dos 30 anos do Hospital Universitário.

A construção da nova unidade aumentará a capacidade de consultas de 600 para 1540 por semana. Será construído um amplo ambiente para administração de quimioterapia, com 20 poltronas e dois leitos, além de 12 poltronas para tratamento e dois consultórios específicos para pacientes de alta complexidade. O investimento cobre ainda a formação de equipes multidisciplinares de saúde com médicos, enfermeiros, nutricionistas, odontólogos e psicólogos. 

O professor Nelson Spector, coordenador do projeto de Oncohematologia, salientou que muitos tratamentos que hoje requerem internação poderão agora ser feitos em regime ambulatorial.

A importância acadêmica do Hospital Universitário foi salientada durante toda a cerimônia. O convênio com o BNDES prevê a construção de um amplo espaço dedicado à formação e ao treinamento, com salas para seminários de pesquisa, sessões clínicas e cursos. “Somos um dos quatro mais fortes grupos de Pós-graduação e Pesquisa em Hematologia do país e somos os principais formadores de recursos humanos em Hmatologia no Rio de Janeiro. Todos os serviços de Hematologia do Rio de Janeiro têm, pelo menos, um médico treinado ou titulado aqui”, afirmou o professor Nelson Spector.

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, ressaltou que a escolha do Hospital Universitário não foi aleatória. “Em um banco, os recursos destinados a investimentos não reembolsáveis são limitados. Privilegiamos projetos que não tenham outras fontes de doação e tenham a finalidade de atender à sociedade”, explicou Luciano Coutinho.

O presidente revelou ainda que a diretoria do BNDES aprovou um novo projeto de apoio à UFRJ com a COPPE para o desenvolvimento de biofármacos, passo importante para as áreas de hemologia e hemoterapia.

O reitor Aloísio Teixeira fechou o evento comemorando a parceria, que “atinge a totalidade dos jovens da UFRJ e a demanda da sociedade e não a grupos específicos”.  Aloísio Teixeira ressaltou ainda que a assinatura de um convênio como esse significa alcançar objetivos pelos quais sua geração lutou durante a ditadura militar e, com agradecimentos ao BNDES, celebrou a conquista da universidade.