Categorias
Memória

Seminário discute Relatório do IPCC

O Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas (FBMC), que tem por objetivo conscientizar e mobilizar a sociedade para a discussão e tomada de posição sobre os problemas decorrentes da mudança do clima por gases de efeito estufa, bem como sobre o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), realizou o seminário “Migração das Mudanças Climáticas: contribuições do Grupo de Trabalho II ao 4º Relatório do IPCC”. O IPCC (Intergovernamental Panel on Climate Change ou Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) foi estabelecido para fornecer informações científicas, técnicas e sócio-econômicas relevantes para o entendimento das mudanças climáticas. Seus impactos potenciais e opções de adaptação e mitigação. É um órgão intergovernamental aberto para os países membros do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e da Organização Meteorológica Mundial (WMO). A Organização Meteorológica Mundial e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) constituíram o IPCC em 1998.

 Veja o vídeo desta matéria

O Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas (FBMC), que tem por objetivo conscientizar e mobilizar a sociedade para a discussão e tomada de posição sobre os problemas decorrentes da mudança do clima por gases de efeito estufa, bem como sobre o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), realizou o seminário “Migração das Mudanças Climáticas: contribuições do Grupo de Trabalho II ao 4º Relatório do IPCC”. O IPCC (Intergovernamental Panel on Climate Change ou Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) foi estabelecido para fornecer informações científicas, técnicas e sócio-econômicas relevantes para o entendimento das mudanças climáticas. Seus impactos potenciais e opções de adaptação e mitigação. É um órgão intergovernamental aberto para os países membros do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e da Organização Meteorológica Mundial (WMO). A Organização Meteorológica Mundial e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) constituíram o IPCC em 1998.

Os grupos do IPCC

O IPCC tem três grupos de trabalho e uma equipe especial sobre inventários nacionais de gases do efeito estufa (GEE). O Grupo de Trabalho I: avalia os aspectos científicos do sistema climático e de mudança do clima, o Grupo de Trabalho II: avalia a vulnerabilidade dos sistemas sócio-econômicos e naturais diante da mudança climática assim como as possibilidades de adaptação a elas, e o Grupo de Trabalho III: avalia as opções que permitiriam limitar as emissões de GEE. Cada Grupo de trabalho assim como a equipe especial tem dois presidentes, um de um país desenvolvido e outro de um país em desenvolvimento, e uma unidade de apoio técnico.

Os três grupos preparam relatórios de análise nos seguintes temas: Informação científica a respeito de mudança climática, impactos ambientais e socioeconômicos da mudança climática e formulação de estratégias de resposta (mitigação e adaptação)

A primeira e a segunda parte do relatório do IPPC, que foram construídas por vários cientistas de renome internacional, que se reuniu na cidade de Genebra na Suíça apontaram que se nada for feito, o mundo sofreria graves mudanças climáticas, a terceira parte foi na cidade de Banguecoque da Tailândia mostrou que os governantes precisam reduzir o gás carbônico (Petróleo e Carvão) e usar energias renováveis e reflorestar florestas, o que envolve destinar algo em torno de 0,50 % do PIB mundial do planeta para salvá-lo de grandes catástrofes.

Evento

O evento realizado na Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (COPPE/UFRJ), no dia 8 e maio, serviu para divulgar as conclusões do relatório e contou com a presença dos pesquisadores brasileiros que participaram da sua elaboração. Os professores Suzana Kanh Ribeiro, do Programa de Engenharia de Transportes da COPPE/UFRJ e Emilio La Rovere e Roberto Schaeffer, ambos do Programa de Planejamento Energético daquela instituição, e o José Roberto Moreira do Centro Nacional de Referência em Biomassa (CENBIO/USP) debateram as conclusões do relatório, apresentadas em Banguecoque  em quatro de maio de 2007.