Categorias
Memória

Comissão inicia discussão do PDE

A Comissão nomeada pelo reitor Aloísio Teixeira para avaliar e propor diretrizes da UFRJ para o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) iniciou a discussão do projeto na tarde desta quinta-feira, 3 de maio.

 A Comissão nomeada pelo reitor Aloísio Teixeira para avaliar e propor diretrizes da UFRJ para o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) iniciou a discussão do projeto na tarde desta quinta-feira, 3 de maio. Reunidos no Salão do Conselho Universitário (Consuni), os 18 membros da Comissão, formada por 12 docentes, 3 funcionários técnicos-administrativos e 3 estudantes, expuseram suas primeiras impressões acerca do Plano.

O PDE é uma iniciativa do Ministério da Educação que objetiva, entre outras coisas, expandir o acesso e a permanência de estudantes do Ensino Superior, através da redução nas taxas de evasão, da ocupação de vagas ociosas e aumento de vagas de acesso, além da ampliação das políticas de inclusão e assistência estudantil. Para tanto, aquelas Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) que optarem por participar do programa proposto pelo governo receberão, de acordo com seus respectivos planos de reestruturação, os recursos financeiros necessários para as mudanças:

– A UFRJ não pode ficar omissa diante disso. Se nos calarmos, podemos perder a oportunidade das mudanças e das reestruturações. O documento enfatiza a necessidade de criar diretrizes, ou seja, a Comissão não tem o papel de fazer um detalhamento de ações definitivas, mas sim de indicar caminhos possíveis – sublinha Belkis Valdman, vice-decana do Centro de Tecnologia.

 Temas como o ensino à distância, o aumento no número de cursos noturnos de Graduação oferecidos pela UFRJ, a criação de um ciclo básico comum a determinadas áreas e a necessidade de mecanismos de inclusão de alunos deficientes foram problematizados no encontro:

– Temos que evitar procurar aqui a universidade que queremos no geral, porque não daremos conta disso, embora essa questão seja importante. Por outro lado, também não podemos cair nas especificidades. O ideal é trabalharmos com o meio-termo: analisar, tendo como parâmetro as diretrizes, que pontos podemos desenvolver nesse curto espaço de tempo – salientou Luiz Antônio Cunha, professor da Faculdade de Educação e conselheiro do Consuni.

Para Carlos Levi, pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento (PR-3), que por conta da ausência da professora Ângela Rocha, assumiu a presidência da Comissão, a primeira discussão acerca do PDE foi positiva: “Esse encontro mostrou uma convergência forte em vários aspectos, o que será a garantia de que vamos propor algo concreto para a universidade”, enfatizou.

Algumas propostas surgiram no encontro. A pedido de Carlos Levi, cada um dos membros da Comissão terá o prazo de dois dias para enviar à Belkis Valdman documentos com sugestões para o PDE. Além disso, uma nova reunião, possivelmente na próxima semana, será convocada pela professora Ângela Rocha.