Categorias
Memória

Curso de Comunicação dá visibilidade às causas sociais

Programa InFormação diagnostica a ausência de temas relacionados às causas sociais na imprensa como decorrência de sua não abordagem nas universidades.

A imprensa brasileira deixa a desejar no que diz respeito às questões sociais. Nas pautas de jornais, inclusive e principalmente os de grande circulação, questões como educação, desigualdades, preconceitos de sexo e etnia, políticas públicas e direitos humanos, entre outras, são negligenciadas ou, quando abordadas, são superficiais e não mostram a real dimensão do problema.

Foi para mudar esta realidade da imprensa que surgiu o Programa InFormação – Programa de Cooperação para a Qualificação de Estudantes de Jornalismo, que visa ampliar as possibilidades de qualificação dos futuros profissionais de Comunicação para a cobertura das temáticas sociais, especialmente as relacionadas aos direitos humanos de crianças e adolescentes.

Elaborado pela Agência de Notícias dos Direitos da Infância (ANDI), com o apoio estratégico da Fundação W.K. Kellogg, o Programa InFormação diagnostica a ausência de temas relacionados às causas sociais na imprensa como decorrência – além do desinteresse das empresas e dos profissionais – de sua não abordagem nas universidades. Sua proposta, então, é de uma reformulação dos princípios do jornalista, para estimular um pensamento crítico, a partir de sua formação acadêmica, acerca dos variados contextos sociais, assim como das políticas a eles (jornalistas) referentes, desenvolvidas por instâncias públicas e privadas. Esta reformulação de idéias e ações começaria com mudanças no currículo dos cursos de Comunicação.

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) já firmou sua parceria com o Programa: a partir deste período letivo, oferece a disciplina “Jornalismo de Políticas Públicas e Sociais”, ministrada pelo professor Evandro Vieira Ouriques. “Com a criação desta disciplina, aprofundamos o programa acadêmico dedicado à formação de comunicadores de uma nova estirpe, não-violenta, responsável e centrada na auto-construção da cidadania. A importância dada pela mídia às questões socio-ambientais (hoje uma realidade única) depende diretamente do entendimento que o jornalista (e o comunicador em geral) tenha de si mesmo, da história e do papel decisivo que a consciência tem no vigor da justiça social, da equidade econômica e da democratização da comunicação”, declara Evandro.

O programa atua oferecendo aos estudantes universitários bolsas para Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), que têm foco na relação entre comunicação e agenda social brasileira. Na primeira etapa, 27 alunos de diversas instituições de ensino superior foram selecionados e receberão, a partir deste mês, durante um período de seis meses, um auxílio mensal de R$ 300,00. Entre os escolhidos está Carolina Cardoso Andrade, aluna da UFRJ, que apresenta o tema “A influência do documentário na construção do imaginário social: uma análise comparativa entre ‘Notícias de uma Guerra Particular’ e ‘Falcão – Meninos do Tráfico’".

Uma segunda etapa de financiamento de pesquisa de novos alunos, desta vez com auxílio durante cinco meses, terá início ainda neste semestre e compreenderá o período de agosto a dezembro de 2007.

Os estudantes interessados devem acompanhar a publicação do edital .