Categorias
Memória

VERÃO: praia, sol e muita chuva

O verão chegou no dia 21 de dezembro, mas o calor parece ter chegado bem antes. Com sol à pino e praias lotadas, essa estação, além das altas temperaturas, é marcada por fortes chuvas.

 

O verão chegou no dia 21 de dezembro, mas o calor parece ter chegado bem antes. Com sol à pino e praias lotadas, essa estação, além das altas temperaturas, é marcada por fortes chuvas. Baseado em dados do International Research Institute for Climate and Society (IRI), o professor do Departamento de Meteorologia da UFRJ, Luiz Maia, afirma que neste ano o verão será mais chuvoso ainda. “Há 75% de probabilidade de que chova mais do que a média histórica para os meses do verão. Já  a temperatura deve passar de 40 graus e fevereiro será o mês mais quente”.

Cuidados com a pele

A unanimidade entre os dermatologistas em relação aos cuidados com a pele, principalmente no verão, é o uso do filtro solar. De acordo com o dermatologista e professor da UFRJ, Omar Lupi, o filtro solar deve ser indicado por um profissional capaz de definir o fator de proteção e o tipo de produto de acordo com a pele do paciente.

Mesmo com filtro solar, o sol entre 10h e 14h deve ser evitado, devido a grande incidência de raios UVB (Raios Ultravioleta) – esses estão relacionados ao aparecimento do câncer de pele. Crianças com menos de seis meses não devem ser expostas ao sol por mais de 15 minutos.

Para cuidar da pele no verão, também é recomendado o uso de um bom hidratante. Enquanto filtros caseiros e óleos bronzeadores vendidos na areia são totalmente contra-indicados, pois podem gerar graves queimaduras.

Algumas doenças de pele são comuns no verão, como a herpes labial, as micoses e bicho geográfico. No caso da herpes labial,  a melhor maneira de evitar é usando um filtro solar em bastão para os lábios. 

Já as micoses aumentam com a prática de esportes no verão. O calor e o uso de roupas inadequadas faz com que elas apareçam, principalmente, nos pés e na virilha. É preciso usar roupas apropriadas para a prática de esportes, evitando as muito apertadas e os tecidos sintéticos, dando preferência aos de algodão. 

Areias contaminadas por fezes de cães e gatos, propiciam o aparecimento do bicho geográfico – larvas de parasitas intestinais desses animais penetram na pele humana, formando caminhos avermelhados acompanhados de coceira. São comuns em crianças e as lesões são normalmente nos pés e nádegas. Os banhistas devem ficar atentos à presença de animais nas praias, pois a mesma é proibida por lei e sujeita à multa.