Categorias
Memória

Reitor visita obras de ampliação do Cenpes

O projeto de expansão do Cenpes será uma boa oportunidade para a revitalização da Ilha do Fundão. Com os novos prédios do complexo – somados às 30 unidades de ensino e o Hospital Universitário – a circulação de pesquisadores, estudantes e funcionários no campus deverá saltar de 45 mil para 65 mil pessoas por dia a partir de março de 2008.

 

 Foto:Adair Aguiar
  

 José Amigo, Gerente de empreendimento
de expansão Cenpes, apresenta o projeto 
do Cenpes 2.
 

O projeto de expansão do Cenpes será uma boa oportunidade para a revitalização da Ilha do Fundão. Com os novos prédios do complexo – somados às 30 unidades de ensino e o Hospital Universitário – a circulação de pesquisadores, estudantes e funcionários no campus deverá saltar de 45 mil para 65 mil pessoas por dia a partir de março de 2008.

O Termo de Cooperação firmado entre a Petrobras e a Universidade prevê, em troca da cessão do terreno, investimentos da Companhia da ordem de R$ 8 milhões em projetos acadêmicos e de melhoria da infra-estrutura urbana no Fundão.
Acompanhado do gerente executivo do Cenpes, Carlos Tadeu Fraga, e do gerente do empreendimento, José Carlos Villar Amigo, o reitor da UFRJ, Aloísio Teixeira, fez a sua primeira visita às obras de expansão do Cenpes, em oito de dezembro. Na oportunidade, destacou a importância dessa parceria.

– Nós, da Universidade, vemos esse projeto de expansão com grande

 Foto: Adair Aguiar

Carlos Tadeu, Gerente Executivo do Cenpes e
Aloisio Teixeira, reitor da UFRJ, durante visita
às obras de expansão.

satisfação e otimismo. Além de aumentar a ocupação da Ilha, trazendo avanço na urbanização, acreditamos que haverá maior demanda de cooperação por parte dos nossos alunos qualificados.

O prefeito da universidade, Hélio Mattos, e a diretora do Escritório Técnico da Universidade (ETU), professora Maria Ângela, fizeram parte da comitiva do reitor. Todos conheceram o projeto do empreendimento através das maquetes eletrônicas e do vídeo histórico exibidos no showroom. O grupo, a convite do gerente José Amigo, também foi conferir o andamento das obras em uma visita ao canteiro.
Na oportunidade, foi apresentado o diretor de operações, Luiz Antônio de Lima, da construtora Andrade Gutierrez, que se associou à COGEFE Engenharia e assumiu a execução das obras de fundação recentemente.

Soluções em conjunto
O aumento do fluxo diário de pessoas no campus em quase 50%, nos próximos dois anos, exigirá soluções de melhorias tanto para o setor de transportes como para a segurança, de acordo o prefeito da Cidade Universitária.

– Essa é uma preocupação nossa, pois há problemas sérios de transporte, desde a escassez de linhas de ônibus até o tráfego de entrada e saída no Campus. Atualmente, estudamos eventuais soluções, mas gostaríamos que o Cenpes nos ajudasse, principalmente, na mobilização de recursos – ressalta o reitor.

Segundo o gerente de Implementação de Empreendimentos para o Cenpes (IECP), José Carlos Amigo, é preciso incluir outras instituições nessa parceria, como a prefeitura do Rio, a fim de ampliar o sistema de transporte da Ilha.

– O Cenpes e a UFRJ devem buscar novos convênios com entidades que possam ajudar na inclusão de outras modalidades, como metrô e barcas – diz Amigo.

Para o gerente executivo, Carlos Tadeu Fraga, esse projeto é mais uma parceria de grande êxito entre a Petrobras e a Universidade. Nos últimos dois anos, a empresa repassou recursos de R$ 8 milhões que também vem ajudando a UFRJ a manter a qualidade dos cursos e da pesquisa científica.
 
 – Uma relação harmônica entre a maior empresa e a maior universidade do país é fundamental, não só para a convivência cotidiana, mas também para potenciais benefícios nas áreas tecnológicas e humanas – observa Tadeu.

Fim das obras

 foto: Adair Aguiar
  
Representantes da UFRJ reúnem-se com
integrantes do Cenpes e discutem a reper-
cussão das obras no campus do Fundão.

A previsão de término das obras de expansão do Cenpes é dezembro de 2007. O novo complexo de pesquisas abrigará, além de laboratórios, área de convenções e salas de videoconferências, o Centro Integrado de Processamento de Dados (CIPD- Rio), projetado para atender às demandas do setor de Tecnologia da Informação de toda as unidades da Petrobras.

De acordo com José Carlos Amigo, as obras estão dentro do cronograma previsto. Já para o início de 2007, a travessia de carros diante do Centro será normalizada, com a abertura da passarela subterrânea. A ocupação do prédio principal do chamado Cenpes II acontecerá em março de 2008.