Categorias
Memória

De olho no Brasil

A convite do Núcleo e da Assessoria de Imprensa da ECO/UFRJ, jornalistas da CNN Internacional relizaram palestra na Escola e falam sobre programas que têm como foco o Rio de Janeiro

 Foto: Mariana Brugger

  

 (À direita) Debra Kocher – Vice-presidente da CNN
 (À Esq.) Sara Yeglin – Produtora executiva

A convite do Núcleo e da Assessoria de Imprensa da ECO/UFRJ, jornalistas da CNN Internacional relizaram palestra na Escola e falam sobre programas que têm como foco o Rio de Janeiro.

No dia 28 de novembro, o auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) recebeu as jornalistas Debra Kocher e Sara Yeglin, vice-presidente e produtora executiva da CNN Internacional, respectivamente. Elas vieram falar sobre a profissão do jornalista num canal de notícias internacional e também sobre as gravações dos programas “Eye On” e “CNN Connects” que estão sendo feitos no Brasil.

Nuances reveladas

Segundo Sara, esses programas “são uma boa oportunidade de mostrar para os espectadores um lado diferente do Brasil, que as pessoas não vêem normalmente, de ir além das manchetes do dia e de mostrar aspectos que podem não ser muito conhecidos. Hoje, na praia, nós aprendemos sobre futevôlei, coisa que muitas pessoas no mundo nunca viram antes”.

O programa “Eye On” dura uma semana e é transmitido no horário das 13 horas. O âncora, Jim Clancy, apresenta o programa ao vivo cada dia de uma locação diferente mostrando flashes sobre o que está acontecendo no país, reportagens e entrevistas. Dentre os temas abordados estão os aspectos econômicos, os contrastes sociais, a questão ambiental, e é claro, a cultura brasileira, passando pelo samba e o futebol, além de outras manifestações culturais.

Já o “CNN Connects” é uma mesa redonda que conta com a participação de personalidades importantes na política, na economia e na cultura brasileira. As jornalistas entrevistaram José Sérgio Gabrielli (presidente da Petrobrás), Gilberto Gil (Ministro da Cultura) e Marta Suplicy (ex-prefeita da cidade de São Paulo).

Para os futuros jornalistas internacionais

As jornalistas terminaram a palestra dando dicas para quem deseja se tornar jornalista internacional. Para Sara, esse profissional ”tem que saber mudar o seu foco e saber um pouco sobre vários assuntos, não perdendo muito tempo em uma história específica, mas, ao mesmo tempo, saber torná-la interessante”. O papel do jornalista, segundo a produtora executiva, “é mostrar para o mundo o que está acontecendo com honestidade e integridade”.

Sobre a carreira, Debra Kocher afirma que “se você tem um senso de aventura, se quer uma carreira imprevisível, se tem a habilidade de ser flexível e de seguir o fluxo dos acontecimentos, essa é uma ótima profissão. Tem sempre algo novo que você pode aprender”.

Para a vice-presidente, a maior dificuldade no jornalismo internacional é não saber falar as línguas locais. “Eu sinto que se eu falasse português e fosse fluente, por exemplo, eu poderia entender e investigar tudo melhor. Afinal, jornalismo é decidir quais partes da historia você vai contar na matéria”.

Os interessados em um estágio na CNN devem entrar em contato com o escritório de São Paulo, onde há concursos anuais para alunos de jornalismo ou procurar a Assessoria de Imprensa da ECO (ecoufrj@uol.com.br ).