Categorias
Memória

Falece a professora Glória Pondé

Nascida em 24 de janeiro de 1948, faleceu, dia 6/11, a professora Glória Maria Fialho Pondé, aposentada do Departamento de Letras Vernáculas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Nascida em 24 de janeiro de 1948, faleceu, dia 6/11, a professora Glória Maria Fialho Pondé, aposentada do Departamento de Letras Vernáculas da Faculdade de Letras da UFRJ.

A vida profissional de Gloria Pondé foi inteiramente dedicada ao magistério, que exerceu em todos os níveis, sempre valorizando a boa educação pública e gratuita, desde as escolas primárias e secundárias da rede pública oficial até as universidades em que lecionou. Durante algum tempo, dirigiu uma escolinha de arte, em que associava leitura com artes plásticas e musicais.

Pondé fez todos os estudos em instituições públicas, desde o secundário, no Instituto de Educação, até a formação universitária na Faculdade de Letras UFRJ: graduação em Português-Literatura, mestrado e doutorado em Literatura Brasileira, com enfoque na literatura infantil, setor de que ela foi uma das fundadoras na instituição. Trabalhou, também, mais tarde na Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF), onde chegou a ser professora titular. Fez pós-doutorado na França, na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales.

Dentre suas atividades, idealizou e realizou muitos projetos ligados à promoção da leitura, voltados particularmente para crianças e jovens; publicou um sem número de livros e artigos no Brasil e no exterior, assessorou editoras e escritores iniciantes, participou de incontáveis júris e congressos.

Foi membro ativo da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) desde 1978, quando se iniciou como colaboradora, tendo ministrado inúmeros cursos de literatura infantil e juvenil em vários estados do país. Fez parte da equipe da Ciranda de Livros e de pesquisas desenvolvidas pela FNLIJ, vindo a prestar assessoria à FAE/MEC para a fundamentação do projeto Salas de Leitura. No biênio 1984-86 dirigiu a FNLIJ, sucedendo a Laura Sandroni,  e deu início a uma nova fase para a entidade.

Foi uma das idealizadoras  do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler), surgido no final dos anos 1990,  em que atuou até poucos dias antes de falecer, quando ministrou um curso na Casa de Leitura em Laranjeiras (sede do Proler).

Gloria Pondé foi uma das  pioneiras na luta pelo direito de todas as crianças e jovens brasileiros  terem acesso à leitura. Com sua morte súbita e inesperada, o Brasil perde uma cidadã brilhante e uma batalhadora incansável que, à sua maneira, contribuiu para a construção de uma sociedade mais justa.

A dedicada mãe de família deixa três filhos, todos de certo modo  ligados à UFRJ: o engenheiro Rafael (hoje trabalhando na Austrália), participou da equipe de implantação do Sigma-GED; Gustavo (residindo em São José dos Campos), graduou-se na Escola de Engenharia, atual Politécnica da UFRJ e  Isabel, bacharel em Direito pela UFRJ.