Categorias
Memória

Sem título da matéria

O Campus da UFRJ na Ilha do Fundão terá um esquema de segurança reforçado. A medida foi anunciada dia 30 de Julho, pelo secretário de Segurança Pública, Roberto Aguiar, em reunião com o reitor Carlos Lessa.

Matéria cedida por Sandra Hoffmann, da Assessoria de Imprensa da Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro

O Campus da UFRJ na Ilha do Fundão terá um esquema de segurança reforçado. A medida foi anunciada ontem, dia 30 de Julho, pelo secretário de Segurança Pública, Roberto Aguiar, em reunião com o reitor Carlos Lessa. Durante o encontro, ficou acertada que as primeiras ações com o objetivo de coibir a violência na região serão implementadas em até 10 dias.

Entre as propostas imediatas estão:
 A implantação de um polígono de segurança.
 A intensificação do policiamento e o treinamento dos vigias e porteiros da Universidade para que saibam identificar e agir em eventuais situações de risco.
O polígono deverá ser instalado próximo ao Hospital Universitário Clementino Fraga Filho.

Durante o encontro, Carlos Lessa entregou ao secretário um documento com propostas para melhorar a segurança na Cidade Universitária, elaborado pela Coordenação de Pós Graduação em Engenharia (Coppe) da UFRJ. O secretário disse que será constituído um grupo de trabalho que terá como objetivo avaliar as propostas apresentadas e acompanhar as ações que serão implementadas. A equipe será constituída pelo subsecretário de Planejamento Operacional, Carlos Augusto Leba, por um membro do Coppe e pela prefeita da UFRJ, Maria Ângela Dias.

A criação de uma Companhia Independente da PM voltada para o policiamento exclusivo da Cidade Universitária e a criação de uma delegacia no interior do Campus foram as outras medidas anunciadas pelo secretário. “Também queremos implementar na região, unidades multifuncionais com a presença das polícias Militar, Civil, Corpo de Bombeiros e se possível com a presença do Poder Judiciário”, acrescentou Roberto Aguiar.

O secretário considerou muito importante a união da Secretaria com a Universidade no combate à violência. Ele a classificou essa união como “uma via de mão dupla” porque a Universidade poderá, em contrapartida, contribuir com a qualificação dos policiais. “Essa união trará, para nós, maior possibilidade de qualificação. Isso porque, com toda a experiência pedagógica e científica que a Universidade reúne, ela poderá oferecer, futuramente, cursos de Mestrado e Doutorado na área de Segurança e Proteção Social”, ressaltou Roberto Aguiar.

Também participaram da reunião o subsecretário de Segurança Pública, Ronaldo Rangel, o subsecretário de Planejamento Operacional, Carlos Augusto Leba, a prefeita da UFRJ, Maria Ângela Dias e o professor da Coppe Moacyr Duarte, especialista.